Boa Vista: Bancadas municipais com leituras diferentes, mas com mensagem focada no desenvolvimento

 

Sal-Rei, Boa Vista, 04 Ju. (Inforpress) – Os líderes das bancadas municipais da Boa Vista, em representação do Movimento Basta (poder autárquico), MpD e PAICV (oposições) têm visões diametralmente opostas quanto a forma de governação local para o desenvolvimento desta ilha turística.

Estas posições foram manifestadas hoje durante a sessão municipal em comemoração ao Dia do Município da Boa Vista.

O líder da bancada do Movimento Basta, Yanick Santos frisou que os desafios são enormes, porquanto, a caminha é longa, mas que a “vontade de vencer é enorme”, e clama por uma união sem discriminação partidária de todos para o desenvolvimento da ilha.

Yanick Santos acredita que esta é a melhor forma para se “chegar a bom porto” e que o concelho tem estado a somar ganhos consideráveis nestes meses de gestão autárquica com olhos postos no desenvolvimento da Boa Vista, “cada vez melhor”, embora apontando ainda grandes desafios nas áreas de saneamento, educação, saúde e segurança.

Já o líder do Movimento para a Democracia (MpD), Paulo Santos considera que nove meses “já é tempo suficiente” para a governação local mostrar resultados e concretizar parte das promessas eleitorais.

Segundo disse, exige-se do governo local a “resolução dos problemas candentes” na sua esfera de gestão, bem como do governo central, medidas e obras estruturantes para o desenvolvimento da ilha, para rapidamente dar respostas necessárias às demandas da população em quase todos os sectores.

Por seu turno, a líder da bancada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Élida Mosso, alertou para a necessidade dos munícipes se unirem numa reflexão profunda sobre o estado da ilha, por forma a enumerar os desafios e oportunidades para o seu desenvolvimento.

Em véspera do 42º aniversário da independência nacional, Élida Mosso inspirou nos ideais de Amílcar Cabral para afirmar que a sessão solene se realiza num momento especial, e que pelas suas a características naturais, Boa Vista está a ser “afectado por descalabro de insegurança, abandono da população do interior, com falta de água e energia eléctrica”.

Entretanto, ao usar da palavra, o presidente da Assembleia Municipal, Péricles Barros, destacou o facto dea população boavistense se ter triplicado em menos de dez anos, indicando que a ilha está “prenhe de ambições” e de novos sonhos para o seu desenvolvimento e crescimento.

Segundo Péricles Barros, a ilha está, entretanto, no rumo certo, “mas que crescimento sem desenvolvimento não lhes interessa”.

SR/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos