Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Boa Vista: Assembleia Municipal suspende debate do novo regulamento de alienação de terrenos

Sal Rei, 01 Abr (Inforpress) – Assembleia Municipal da Boa Vista suspendeu a discussão e aprovação do novo regulamento de alienação de terrenos, por proposta da câmara municipal, em sessão ordinária.

A suspensão ocorreu quando, na tarde de terça-feira, no debate, a oposição questionava alguns pontos do regulamento, tendo a autarquia entendido interromper o debate e adiar a análise ainda para este mês, em mais uma sessão da Assembleia Municipal.

Para o presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, José Luís Santos, trata-se de um documento que “vai mexer na forma de disponibilização de solo” na ilha.

“São muito importantes as contribuições para que possa ser um documento rico e que espelhe um grande consenso municipal”, assegurou o edil, que concluiu não ser o caminho que a discussão estava a desenhar, daí propor a suspensão.

O autarca sugeriu a criação de uma comissão que vai recolher e analisar possíveis subsídios das bancadas para o novo regulamento sobre alienação de terrenos na Boa Vista.

“Essa comissão deve fundir as duas propostas existentes e rapidamente encontrar o melhor documento e trazer para debate na próxima sessão”, sintetizou.

A comissão será integrada por três elementos do Basta, Marcos Mendes, Crissante e Yannick Santos, grupo que suporta a câmara, dois eleitos da oposição, Paulo Santos, do MpD, e Denise Évora, do PAICV, e terá o suporte da câmara através do vereador do Urbanismo, Aristides Brito.

O líder da bancada municipal do MpD, Paulo Santos, considerou que “se viveu um momento de democracia”, pelo fato  de a autarquia ter assumido que existem condições para melhorar o novo regulamento.

O deputado do MpD sublinhou que atitudes do tipo devem “sempre fazer escola” na Assembleia Municipal para “o bem do município e dos munícipes”, garantindo que a sua bancada vai participar e “dar inputs para o documento”, que disse esperar venha a ser “condizente com a expectativa de desenvolvimento” da ilha.

O eleito do Basta, Crissante Soares, reconheceu e exaltou a atitude do executivo camarário, sustentando que a equipa não faz uso da maioria que tem, como suporte para aprovar forçosamente qualquer proposta que leva para análise na assembleia.

A deputada do PAICV, Denise Évora, por seu lado, considerou que também era intenção da sua bancada solicitar discussão do documento na próxima sessão, sendo que considera o diploma de um “instrumento importante” para o município, deixando a ideia que a oposição tem “importantes contributos” que podem ser absorvidos.

VD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos