Agenda
São Tomé/Eleições: Observadores da CPLP dizem que votação correu “acima das expectativas” São Tomé, 25 Set (Inforpress) – O chefe da missão de observação eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições legislativas, autárquicas e regionais de São Tomé e Príncipe considerou hoje que a votação “correu acima das expetativas”. “Até onde a nossa missão pôde observar, e a nossa missão observou grandes zonas do país, inclusive na Região Autónoma do Príncipe, do ponto de vista da chefia da missão, o pleito correu acima das expectativas e entendemos que as expetativas do eleitorado foram cumpridas”, afirmou hoje o embaixador do Brasil em Angola, Rafael Vidal, junto a uma assembleia de voto na capital são-tomense, já após a hora oficial de fecho das urnas (17:00 locais, 16:00 em Cabo Verde). Segundo o chefe da missão de observação eleitoral (MOE) da comunidade lusófona, “foi um dia de grande ordem, disciplina, espírito cívico”. Os 21 observadores da CPLP, acrescentou, registaram, nas mesas de voto de todo o país, “a grande disciplina, a grande preparação dos membros das mesas de voto, todos eles muito concentrados, muito bem organizados, seguindo os rigores da lei eleitoral de São Tomé e Príncipe”. Rafael Vidal destacou ainda “uma participação dos eleitores bastante expressiva, em todas as zonas eleitorais”, ressalvando que “em algumas [mesas de voto] houve atrasos na abertura, mas não comprometeram o desenrolar do pleito”. O diplomata afirmou ainda que “todas as regras foram respeitadas”, nomeadamente no acesso a pessoas com deficiência às assembleias de voto e na participação das mulheres. “Entre os delegados e membros de mesa, vimos alguma assembleias compostas exclusivamente de mulheres, outras com uma distribuição equitativa”, referiu. As urnas abriram às 07:00 e encerraram às 17:00 locais (mais uma hora em Lisboa), apesar de em algumas mesas de voto, cerca de uma hora e meia depois, ainda se votar. Nas duas ilhas que compõem o país, houve um total de 309 mesas de voto para os 123.301 eleitores. No total, 11 partidos e movimentos, incluindo uma coligação, concorrem hoje aos 55 lugares da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe. Pela primeira vez, 14.692 cidadãos residentes em 10 países da Europa e África elegem um deputado por cada círculo. Os restantes 53 deputados são escolhidos pelos seis distritos da ilha de São Tomé e pela região do Príncipe. Os eleitores são-tomenses têm igualmente de escolher os próximos presidentes das autarquias e o Governo Regional do Príncipe também vai a votos. Inforpress/Lusa/fim
São Tomé/Eleições: Comissão Eleitoral diz que processo decorreu “conforme expetativas” e antecipa abstenção baixa
Covid-19: Cabo Verde sem nenhum caso nas últimas 24 horas
São Tomé/Eleições: Duas mil pessoas com deficiência votaram hoje com apoio das Nações Unidas
PR diz que “não faz sentido” que uma criança fique fora do sistema de ensino devido a burocracias
Next
Prev

Biden pede ao Congresso 11.700 milhões de dólares para ajuda adicional a Ucrânia

Washington, 03 Set (Inforpress) – A administração norte-americana reforçou o compromisso com a Ucrânia, solicitando ao Congresso 11,7 milhões de dólares para assistência económica e de segurança daquele país e dois mil milhões de dólares para reduzir o custo da energia nos Estados Unidos.

Em maio, o Senado dos EUA já havia aprovado 40 mil milhões de dólares (cerca do mesmo valor em euros ao câmbio atual) em ajuda militar e humanitária à Ucrânia para enfrentar a guerra desencadeada pela invasão russa, valor que foi autorizado após esgotado o pacote de 13.600 milhões autorizado em março.

“O Presidente Biden deixou claro que os Estados Unidos estão comprometidos em continuar a ajudar o povo da Ucrânia na defesa da sua soberania. Para cumprir esse compromisso, estamos a solicitar 11,7 milhões de dólares em assistência económica e de segurança para o primeiro trimestre do ano fiscal de 2023”, diz a Casa Branca.

O pedido foi expresso em vésperas de o Congresso retomar as atividades após as férias de verão.

A ajuda militar à Ucrânia visa reforçar a defesa daquele país a curto e longo prazo e já se concretizou, entre outros, com munições, diversos tipos de drones ou veículos táticos.

O ano fiscal começa em outubro. “Assim como no atual ano fiscal, estamos confiantes de que o Congresso irá chegar a um acordo de financiamento que irá beneficiar o povo americano. Mas faltando um mês para o ano fiscal, está claro que primeiro precisará aprovar uma resolução de curto prazo para manter o governo federal a funcionar”, escreveu Shalanda Yung, diretora do departamento de gestão e orçamento da Casa Branca no seu blog.

O pacote de ajuda à Ucrânia faz parte dessa resolução de curto prazo e inclui pedidos para outras três emergências: Monkeypox, covid-19 e recuperação de desastres naturais.

A Casa Branca admite que a luta contra a pandemia de covid-19 precisa de fundos adicionais e avalia o valor em 22,4 milhões de dólares para responder às necessidades de curto prazo, desde a preparação para futuras variantes até a aceleração da investigação e desenvolvimento de vacinas e tratamentos.

O governo também pede 3,9 milhões de dólares para garantir que a população americana tenha acesso a vacinas, testes e tratamentos contra a varíola, e outros 600 milhões de dólares para ajudar a combater a doença em todo o mundo.

Os Estados Unidos acumulam o maior número de casos globais de Monkeypox, com 19.962, de um total de cerca de 53.000, segundo dados desta sexta-feira dos Centros de Controle de Doenças (CDC). A primeira morte no país de uma pessoa com varíola foi registada no final de agosto no Texas.

O pedido de mais 6.500 milhões para lidar com desastres naturais como secas, inundações e incêndios eleva o total de recursos solicitados pelo executivo democrata para 47.100 milhões de dólares. “Este governo irá continuar a trabalhar com membros de ambos os partidos no Congresso para atender a essas necessidades críticas do povo americano. Esperamos chegar a um acordo de financiamento bipartidário”, conclui a nota divulgada.

Inforpress/Lusa

Fim

Facebook
Twitter
  • São Tomé/Eleições: Observadores da CPLP dizem que votação correu “acima das expectativas”    São Tomé, 25 Set  (Inforpress) – O chefe da missão de observação eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições legislativas, autárquicas e regionais de São Tomé e Príncipe considerou hoje que a votação “correu acima das expetativas”. “Até onde a nossa missão pôde observar, e a nossa missão observou grandes zonas do país, inclusive na Região Autónoma do Príncipe, do ponto de vista da chefia da missão, o pleito correu acima das expectativas e entendemos que as expetativas do eleitorado foram cumpridas”, afirmou hoje o embaixador do Brasil em Angola, Rafael Vidal, junto a uma assembleia de voto na capital são-tomense, já após a hora oficial de fecho das urnas (17:00 locais, 16:00  em Cabo Verde). Segundo o chefe da missão de observação eleitoral (MOE) da comunidade lusófona, “foi um dia de grande ordem, disciplina, espírito cívico”. Os 21 observadores da CPLP, acrescentou, registaram, nas mesas de voto de todo o país, “a grande disciplina, a grande preparação dos membros das mesas de voto, todos eles muito concentrados, muito bem organizados, seguindo os rigores da lei eleitoral de São Tomé e Príncipe”. Rafael Vidal destacou ainda “uma participação dos eleitores bastante expressiva, em todas as zonas eleitorais”, ressalvando que “em algumas [mesas de voto] houve atrasos na abertura, mas não comprometeram o desenrolar do pleito”. O diplomata afirmou ainda que “todas as regras foram respeitadas”, nomeadamente no acesso a pessoas com deficiência às assembleias de voto e na participação das mulheres. “Entre os delegados e membros de mesa, vimos alguma assembleias compostas exclusivamente de mulheres, outras com uma distribuição equitativa”, referiu. As urnas abriram às 07:00 e encerraram às 17:00 locais (mais uma hora em Lisboa), apesar de em algumas mesas de voto, cerca de uma hora e meia depois, ainda se votar. Nas duas ilhas que compõem o país, houve um total de 309 mesas de voto para os 123.301 eleitores.  No total, 11 partidos e movimentos, incluindo uma coligação, concorrem hoje aos 55 lugares da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe. Pela primeira vez, 14.692 cidadãos residentes em 10 países da Europa e África elegem um deputado por cada círculo. Os restantes 53 deputados são escolhidos pelos seis distritos da ilha de São Tomé e pela região do Príncipe. Os eleitores são-tomenses têm igualmente de escolher os próximos presidentes das autarquias e o Governo Regional do Príncipe também vai a votos.   Inforpress/Lusa/fim

    São Tomé/Eleições: Observadores da CPLP dizem que votação correu “acima das expectativas” São Tomé, 25 Set (Inforpress) – O chefe da missão de observação eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições legislativas, autárquicas e regionais de São Tomé e Príncipe considerou hoje que a votação “correu acima das expetativas”. “Até onde a nossa missão pôde observar, e a nossa missão observou grandes zonas do país, inclusive na Região Autónoma do Príncipe, do ponto de vista da chefia da missão, o pleito correu acima das expectativas e entendemos que as expetativas do eleitorado foram cumpridas”, afirmou hoje o embaixador do Brasil em Angola, Rafael Vidal, junto a uma assembleia de voto na capital são-tomense, já após a hora oficial de fecho das urnas (17:00 locais, 16:00 em Cabo Verde). Segundo o chefe da missão de observação eleitoral (MOE) da comunidade lusófona, “foi um dia de grande ordem, disciplina, espírito cívico”. Os 21 observadores da CPLP, acrescentou, registaram, nas mesas de voto de todo o país, “a grande disciplina, a grande preparação dos membros das mesas de voto, todos eles muito concentrados, muito bem organizados, seguindo os rigores da lei eleitoral de São Tomé e Príncipe”. Rafael Vidal destacou ainda “uma participação dos eleitores bastante expressiva, em todas as zonas eleitorais”, ressalvando que “em algumas [mesas de voto] houve atrasos na abertura, mas não comprometeram o desenrolar do pleito”. O diplomata afirmou ainda que “todas as regras foram respeitadas”, nomeadamente no acesso a pessoas com deficiência às assembleias de voto e na participação das mulheres. “Entre os delegados e membros de mesa, vimos alguma assembleias compostas exclusivamente de mulheres, outras com uma distribuição equitativa”, referiu. As urnas abriram às 07:00 e encerraram às 17:00 locais (mais uma hora em Lisboa), apesar de em algumas mesas de voto, cerca de uma hora e meia depois, ainda se votar. Nas duas ilhas que compõem o país, houve um total de 309 mesas de voto para os 123.301 eleitores. No total, 11 partidos e movimentos, incluindo uma coligação, concorrem hoje aos 55 lugares da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe. Pela primeira vez, 14.692 cidadãos residentes em 10 países da Europa e África elegem um deputado por cada círculo. Os restantes 53 deputados são escolhidos pelos seis distritos da ilha de São Tomé e pela região do Príncipe. Os eleitores são-tomenses têm igualmente de escolher os próximos presidentes das autarquias e o Governo Regional do Príncipe também vai a votos. Inforpress/Lusa/fim

    São Tomé, 25 Set (Inforpress) – O chefe da missão de observação eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa...

  • Galeria de Fotos