Benvindo Neves, Aidé Carvalho e Daniel Almeida vencem Prémio Nacional de Jornalismo 2021

Cidade da Praia, 25 Abr (Inforpress) – Os jornalistas Benvindo Neves (RCV), Aidé Carvalho (TCV) e Daniel Almeida (A Nação) são os vencedores da edição 2021 do Prémio Nacional de Jornalismo (PNJ), cujos resultados foram divulgados hoje pelo presidente do júri.

O jornalista Benvindo Neves, da Rádio de Cabo Verde (RCV), ganhou o título de vencedor da categoria “Rádio” com a reportagem radiofónica “Castigados, por fora de jogo“, que debruça-se sobre uma questão relevante, com impacto da covid-19 na vida dos jogadores, um género importante muito pouco explorado”.

Na mesma categoria, o júri decidiu atribuir menção honrosa a jornalista Ariana “Nani” Vaz, também da RCV com a reportagem “Saxofonista Totinho”, justificado pelo “sonoplastia e o valor testemunhal da reportagem”.

Na categoria Televisão, Aidé Carvalho foi considerada a vencedora com a reportagem “Um outro olhar”, no qual o júri destacou a abordagem positiva e humanista do tema – deficiência visual – completada pela carga informativa relevante.

Ainda neste mesmo grupo, a menção honrosa foi concedida pelo corpo do jurado à jornalista Filomena Alves Lima da TCV, com a reportagem “As dores da folia”, em que os júris “apreciaram a sensibilidade da jornalista por todo o processo da realização do Carnaval na cidade do Mindelo”.

Já na categoria Imprensa Escrita, o júri escolheu o trabalho de investigação do jornalista do Jornal A Nação, Daniel Almeida, com a reportagem “Contrato secreto com os Islandeses”, tendo justificado a escolha pelo trabalho investigativo “profundo sobre os negócios do Estado”.

A menção honrosa nesta categoria foi para a jornalista do também jornal A Nação, Gisela Coelho, com a reportagem “Resgate dos 100 anos da História do Foto Melo”, no qual foi apreciado pelo júri a abordagem de um elemento da história “em risco do desaparecimento, pouco conhecida da maioria da população cabo-verdiana”.

O júri decidiu ainda destacar em sinal de reconhecimento o trabalho dos jornalistas Syoni Barbosa, Cleunice Baessa e Catarina de Pina, todas da Televisão Independente de Cabo Verde – TIVER, pelo ciclo das reportagens sociais durante 2021.

O presidente do júri, Geremias Furtado, revelou em conferência de imprensa para a divulgação dos resultados que concorreram ao PNJ’2021 um total de 23 trabalhos, dos quais nove na categoria Televisão, três da Rádio e 11 da Imprensa Escrita, em média de duas candidaturas por cada concorrente.

Aos vencedores serão atribuídos os prémios a 03 de Maio, na sede da AJOC. Nesse mesmo dia, a AJOC realiza a Gala “Liberdade de Imprensa”, na Assembleia Nacional, de forma a assinalar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, oportunidade para “reconhecer os jornalistas mais experientes com mais de 30 anos de serviços pelo percurso e contributo em prol do jornalismo cabo-verdiano”.

Este reconhecimento, avançou Geremias Furtado, é extensivo a profissionais que também deram os seus contributos, nomeadamente motoristas, cameramen, nesta “Gala Beneficente” cujo valor da venda dos bilhetes a preços de 500 escudos será destinado a Waldir Alves, jornalista residente nos Estados Unidos, que passa por situações difíceis em termos de saúde.

SR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos