Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

BCV reitera importância dos apoios do FMI aos países com problemas financeiros provocados pela pandemia

Cidade da Praia, 13 Out (Inforpress) – O governador do Banco de Cabo Verde (BCV) reiterou hoje a importância dos apoios concedidos pelo Fundo Monetário Internacional aos países que enfrentam problemas financeiros, provocados pela pandemia, com forte impacto na economia e na vida social.

Óscar Santos fez esta observação durante o acto de assinatura do memorando entre o BCV e o Ministério das Finanças, no âmbito da alocação geral de Direitos de Saque Especiais (DSE) disponibilizados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) a Cabo Verde.

Segundo avançou, com os apoios do DSE a nível global atingiram os 650 mil milhões de dólares distribuídos de acordo com a participação de cada país, considerando a decisão “histórica” num momento particularmente desafiante para a economia global.

Nesta linha, frisou, os cerca de 27,7 milhões de euros disponibilizados a Cabo Verde, aproximadamente três milhões de contos, irão ser usados livremente em projectos de investimentos para ajudar na retoma da economia nacional.

Óscar Santos destacou a confiança do FMI nas instituições do país e, particularmente do BCV, como entidade interlocutor financeiro nas relações entre o arquipélago e o FMI.

“Neste memorando de entendimento estabelece-se o relacionamento entre o BCV e o Ministério das Fianças no âmbito dos recursos e as responsabilidades de cada interveniente”, assinalou.

O governador do BCV referiu ainda a ausência de implicações na sustentabilidade da dívida pública, ou seja, ela não é afectada por esta operação.

“No memorando prevemos que, num período de 25 anos, incluindo um período de graça de 10 anos, a uma taxa de juros de 0.05 por cento (%), haverá a reconstituição dos fundos que gradativamente concorrem para o reforço das reservas externas”, disse.

Acrescentou ainda que os DSE consubstanciam um activo de reserva incondicional, o que significa que a decisão sobre como utilizá-lo cabe a cada país membro.

HR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos