BCV projecta crescimento do Produto Interno Bruto do País para (cinco) 5% em 2019

Cidade da Praia 18 Abr (Inforpress) – As projecções do Banco de Cabo Verde (BCV) apontam para um crescimento do PIB em volume na ordem 5 por cento (%), sustentado numa “mais robusta dinâmica de investimentos” e num “contínuo e significativo aumento do consumo público”.

Segundo o BCV o maior impulso orçamental ao crescimento deverá resultar da implementação de medidas que visam a promoção do financiamento de micro, pequenas e médias empresas, através de linhas de crédito, bonificação de juros, reforço de fundos próprios e capacitação, entre outros, ao incentivo fiscal à actividade de determinados nichos empresariais (start-up jovem, shipping e micro-finanças), nomeadamente através do desagravamento da taxa de impostos sobre o rendimento.

Para além disso, este impulso, segundo o BCV, resultará ainda do reforço das infraestruturas do sector dos transportes, do aumento da pensão social, da atribuição de um rendimento social de inclusão e da actualiação salarial e das pensões da administração pública.

Conforme o Banco Central, as expectativas de evolução do investimento privado ancoram a projeção de um crescimento maior do crédito à economia e uma recuperação do investimento directo estrangeiro.

“O crescimento do consumo privado deverá ser superior ao registado em 2018, impulsionado pelo impacto positivo no rendimento disponível das famílias da actualização dos salários e benefícios sociais, da estabilização das remessas dos emigrantes e da contenção da inflação”, lê-se no documento sobre as Projecções Macroeconómicas para Cabo Verde 2019.

O documento indica também que “as exportações deverão manter um sólido ritmo de crescimento”, pese embora “algum abrandamento” das exportações de mercadorias “devido ao efeito de base”.

Deste modo, o BCV perspectiva ainda um fortalecimento das receitas de viagens, após o abrandamento ocorrido em 2018, suportado por uma “consistente procura turística” e um “aumento de eventos de cariz regional, continental e mundial” no país.

“As projecções acomodam também um crescimento importante das receitas de serviços de transportes, com a gradual sedimentação do negócio do hub aéreo do Sal”, indica o mesmo documento que afirma também que as importações deverão manter o ritmo de forte crescimento do ano anterior para, suportarem, principalmente, o aumento da procura agregada cuja componente importada é dominante.

Do lado da oferta, adianta o Banco Central, o crescimento deverá ser impulsionado em larga medida pelos desempenhos positivos de eletricidade e água, comércio, indústria transformadora, transportes e construção.

Perspectiva também a redução do contributo global do sector público não empresarial, particularmente dos impostos líquidos de subsídios e um agravamento da balança de bens e serviços em 2019, determinado pelo crescimento previsto das importações de bens.

Ainda conforme o BCV as expectativas de crescimento dos dividendos expatriados aos investidores e dos juros pagos aos credores do Estado deverão determinar o crescimento do défice da balança corrente de 4,5 para 6,6 % do PIB, as reservas internacionais líquidas do país deverão crescer cerca de 25 milhões de euros em 2019 e garantir 5,4 meses das importações de bens e serviços projetadas. Já os activos externos líquidos do país deverão aumentar 2,9 por cento em 2019.

O Banco Central acrescenta também que o crédito à economia deverá crescer em torno de 5%, determinado pelo “aumento dos empréstimos às empresas públicas e privadas, bem como aos particulares”.

Por sua vez a taxa média anual da inflação “deverá reduzir dos 1,3 % para 0,9 por cento, em 2019”, indica ainda o documento Projecções Macroeconómicas para Cabo Verde 2019.

CD/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos