Bastonário da OMC regozija-se com a possibilidade de se aprovar a proposta de lei sobre o transplante de rim

Cidade da Praia, 17 Jan (Inforpress) – O Bastonário da Ordem dos Médicos Cabo-verdianos (OMC), Danielson Veiga, regozijou-se hoje com a possível aprovação, em Conselho de Ministro, da proposta de lei sobre o transplante de rim no país.

Danielson Veiga fez essa consideração em declarações à imprensa, na quinta-feira, quando convidado a falar sobre a proposta de lei de transplante de rim no arquipélago.

A este propósito, o responsável garantiu que os cirurgiões estão preparados para esse trabalho e afirmou que o mais difícil em tudo isso é a “prevenção e a rejeição” dos órgãos.

“Isso porque a pessoas vão usar um órgão que não lhe pertence e, normalmente, o corpo tende a rejeitar o que não é nosso, dai a rejeição”, disse, explicando que para combater a rejeição é necessário que o país importe medicamentos, que são muito caros, e que sirvam para fazer a prevenção.

Ainda no que respeita ao transplante, ressaltou que o país vai ter de trabalhar leis de doação, assim como a parte de sensibilização para possibilitar que as pessoas, em vida, possam decidir se querem ser doadores ou não, caso lhes aconteça algo.

PC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos