Banco Mundial trabalha com o Governo para priorizar empresas estatais que deveriam ser privatizadas – responsável

Cidade da Praia, 26 Jul (Inforpress)- A representante do Banco Mundial em Cabo Verde, Eneida Fernandes, informou hoje que esta instituição tem trabalhado com o Governo na questão de priorizar quais as empresas estatais que deveriam ser privatizadas.

Eneida Fernandes deu esta informação hoje à imprensa, à margem da apresentação do relatório “Cabo Verde Economic Update 2022”.

Na ocasião, adiantou que o Banco Mundial tem um programa com o Governo de Cabo Verde sobre as empresas estatais e que a instituição financeira tem previsto recursos de quase 10 milhões de dólares exatamente para apoiar nesta questão das privatizações e das concessões.

“Sentimos um atraso durante a época da pandemia, mas temos visto o engajamento grande do Governo na área das privatizações, alinhar as privatizações da Electra, da Enapor, e das outras estatais, e o resultado positivo foi realmente já a concessão dos aeroportos”, disse.

Segundo explicou, o Banco Mundial não recomenda qual deve ser privatizado ou não, mas sim, tem trabalhado com o Governo no sentido de estabelecer uma política clara de quais são as estatais que vão entrar no processo de privatização e de concessão e que se siga isso de uma forma transparente, com processos transparentes.

“O Governo agora acabou de lançar um road map, de quais serão as primeiras privatizações a ocorrer e o Banco está a apoiar o Governo no trabalho técnico para se garantir que se atraem os melhores privados e as melhores concessões para o País”, precisou.

Apontou a Electra como uma das empresas privatizáveis, concessões prioritárias que estão sendo trabalhadas com o Banco Mundial, assegurando que esta instituição vai apoiar esta prioridade do Governo no curto termo.

ET/JMV
Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos