Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Banco Árabe para o Desenvolvimento em África financia projeto em Cabo Verde no montante de 13,5 M€

Cidade da Praia, 02 Set (Inforpress) – O Banco Árabe para o Desenvolvimento em África (BADEA) vai financiar com 16 milhões de dólares (13,5 milhões de euros) um projecto para valorizar três bacias hidrográficas nas ilhas de Santiago, Santo Antão e Boa Vista.

A instituição anunciou hoje tratar-se de um projecto do Governo de Cabo Verde orçado em 36 milhões de dólares (30,4 milhões de euros) em que o BADEA garante 46% dessa verba através de um empréstimo concessional, cujo acordo foi assinado esta semana.

Em nota consultada hoje pela Lusa, o BADEA explica que este projecto vai contribuir para Cabo Verde atingir as metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, até 2030, de erradicação da fome e da pobreza, e será ainda financiado pelo Fundo de Desenvolvimento da Arábia Saudita e o Governo cabo-verdiano.

“De se notar que, aquando da sua graduação para país de rendimento médio, Cabo Verde deixou de ter acesso a alguns créditos com condições concessionais, como por exemplo, do BADEA. Entretanto, devido às grandes negociações entre o actual Governo de Cabo Verde e o BADEA, foi solicitada uma actualização das condições de crédito. A solicitação teve uma resposta positiva, dando importância à dinâmica que o país tem tido na gestão da dívida pública e também num novo contexto em que vivemos”, justifica fonte do executivo cabo-verdiano.

O projecto permitirá a dinamização e valorização das bacias hidrográficas da Ribeira São João Baptista (Santiago), Ribeira Grande (Santo Antão) e Ribeira Calhau (Boa Vista).

Segundo o Governo, o BADEA já tinha concedido o financiamento para o projecto de Valorização das Bacias Hidrográficas de Santiago, Santo Antão e Boa Vista, mas como crédito não concecional, “no qual a taxa de juros era mais alta e por um período de graça menor”.

“Desta feita, aprovaram-se novas condições concecionais, as quais Cabo Verde terá uma maturidade de 25 anos, e um período de graça de cinco anos, a uma taxa de juros de 1,5%”, explica ainda.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos