Bailarino Nuno Barreto participa num casting em Portugal para integrar peça em homenagem a Pantera

Cidade da Praia, 08 Out (Inforpress) – O bailarino e coreógrafo da Companhia de Dança Raiz di Polon, Nuno Barreto, desloca-se este sábado, 09, a Portugal para participar num casting, visando participar numa peça em homenagem ao músico e compositor Orlando Pantera.

Em declaração à Inforpress, Nuno Barreto, elemento do grupo Raiz di Polon, disse que o evento é produzido pela companhia Clara Ardermatt, com o intuito de homenagear o músico Orlando Pantera com uma peça de dança.

De acordo com a mesma fonte, a intenção da produtora é ter os bailarinos cabo-verdianos principalmente os que tiveram uma relação estreita com o compositor para uma apresentação, prevista para meados de Janeiro ou Fevereiro, e uma tournée a nível da Europa.

Para o artista, é uma oportunidade de trabalhar com uma das “mais renomadas coreógrafas da Europa”, criando mais oportunidade de internacionalizar o seu trabalho como bailarino e representar Cabo Verde.

“Vou candidatar-me porque tenho uma boa relação com o músico Orlando Pantera, morei juntamente com ele durante quatro anos no mesmo quarto”, disse aquele artista.

Na sua perspectiva, o compositor merece uma homenagem, visto que fez muito por Cabo Verde com as suas músicas tradicionais.

“Pantera criou um estilo próprio de tocar o batuque, referiu, considerando Orlando Pantera como um artista “transversal que marcou e continuará a marcar gerações”.

Para esta deslocação, o bailarino conta com o apoio e patrocínio de varias entidades, como o Núcleo Operacional da Sociedade de Informação – NOSI, a Câmara Municipal da Praia, o Ministério de Assuntos Parlamentares, o deputado Rui Semedo, o bailarino Zezinho Semedo, Luciene Cabral e, também, da companhia Raiz de Polon.

O bailarino cabo-verdiano vai actuar dia 15 de Outubro, no estúdio de Clara Ardermatt, no Bairro Alto, em Lisboa, Portugal.

Nuno Barreto é membro da Companhia de Dança Raiz di Polon e também professor de dança. Tem várias peças a solo e assinou ainda coreografias para outros bailarinos.

Dedica-se também ao activismo cultural, tendo nos últimos anos criado o Afuraka, um espaço no bairro da Achadinha onde as crianças podem dedicar-se ao desenho, à pintura, à música e outras actividades criativas.

AT/LC//HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos