Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Autoridades recusam licenciamento a 117 unidades de produção do grogue

Pedra   Badejo, 22 Abr (Inforpress) – O Ministério da Indústria, Comércio e Energia aprovou o pedido de licenciamento de 209 unidades de produção do grogue e reprovou 117 solicitações, por não reunirem todos os requisitos estabelecidos para este ano.

A informação consta do relatório dos resultados da vistoria das unidades de produção do grogue de cana-de-açúcar divulgado hoje.

De acordo com o documento, as vistorias foram feitas em cumprimento da legislação vigente, que estabelece os procedimentos para a regularização das unidades de produção do grogue num horizonte de três anos.

Para este ano estava prevista a vistoria de 413 unidades nas ilhas de Santiago, Santo Antão, São Nicolau, Brava e Maio, mas somente 363 foram alvos de vistoria, tendo em conta que 37 dessas instalações encontram-se desactivadas.

“Destas 413 unidades previstas para vistoria, 230 unidades estão situadas em Santiago, 166 na ilha de Santo Antão, oito em São Nicolau, seis na Brava e três na ilha do Maio”, refere o relatório.

A mesma fonte esclareceu 49 não foram vistoriadas por ausência de contacto com os responsáveis (dados de contactos desactualizados) e/ou por não terem uma pessoa no estabelecimento como combinado antes da acção.

As licenças são adoptadas com base nos critérios e as orientações do “Plano de implementação do quadro legal sobre a produção do grogue”, lê-se na nota, com a intenção de acelerar o processo de adequação das unidades produtoras às exigências da regulamentação vigente.

As vistorias, que decorreram de 09 de Janeiro a mês de Marco, foram realizadas por uma equipa multidisciplinar, constituída pela Direcção Nacional da Industria, Comércio e Energia, Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS), delegacias de Saúde, câmaras municipais e delegações do Ministério da Agricultura e Ambiente.

O relatório concluiu que os progressos registados com a melhoria das condições estruturais têm que prosseguir com a adopção e aplicação de boas práticas de higiene e fabricação nas instalações produtivas.

WM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos