Autárquicas/Fogo: PAICV vai apresentar queixa contra direcção da TCV junto à ARC por alegada discriminação

São Filipe, 16 Set (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) vai apresentar uma queixa contra a direcção da Televisão de Cabo Verde (TCV) junto da Autoridade Reguladora da Comunicação Social (ARC) por alegada discriminação no tratamento noticioso.

Numa conferência de imprensa para analisar aquilo que considera “má gestão” da câmara de São Filipe, o eleito do PAICV, António Cula denunciou as reiteradas tentativas de silenciar a oposição por parte da TCV, que, no dizer do mesmo, devia “primar pela igualdade de tratamento de todas as formações políticas”.

A não divulgação pelo canal público de uma conferência de imprensa realizada no dia 12 de Setembro para reagir à intervenção do deputado nacional eleito pelo MpD, Filipe Santos, que “desesperadamente tentava encontrar algo de positivo feito por esta câmara lenta, preguiçosa e moribunda” é uma das razões que motivam o PAICV São Filipe a apresentar a queixa.

Os responsáveis do PAICV indicam que foram impedidos de dizer na TCV que se está perante “uma câmara ausente em matéria de políticas sociais e com critérios discriminatórios” e porque em inúmeras situações lhes foram negados o direito de respostas.

A título de exemplo aponta a última sessão da assembleia municipal em que, segundo disse, dois vereadores da oposição não puderam exercer o direito de resposta às “difamações” proferidas na TCV pelo presidente da Assembleia, daí a razão da apresentação da queixa junto da ARC.

Na queixa o PAICV-São Filipe vai solicitar junto da ARC a divulgação da “conferência injustamente congelada” com a garantia de a partir de agora esta força política possa beneficiar, em pé de igualdade com todas as forças políticas da cobertura das suas actividades políticas.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos