Autárquicas 2020/São Vicente: UCID defende “trabalho pedagógico para mostrar que voto é um dever”

Mindelo, 20 Out (Inforpress) – Abordada por um eleitor a pedir dinheiro para um convívio em Ribeirinha, a candidatura da UCID à câmara de São Vicente, liderada por António Monteiro, disse que é preciso pedagogia para mostrar que voto é um dever.

Esta ideia foi defendida pela mandatária da União Cabo-verdiana, Independente e Democrática (UCID), Dora Pires, que é também candidata à presidência da Assembleia Municipal de São Vicente.

Segundo Dora Pires, os jovens pedem dinheiro porque o outro partido criou um vício nos eleitores oferecendo-lhes dinheiro para realizar actividades em troca de voto.

“É um vício que o partido criou no sentido de colocar as pessoas dependente deles. Comprar votos incentivando jovens a realizar actividades em que vão usar álcool é   algo que já está enraizado na sociedade e temos que lutar contra isso, fazer um trabalho pedagógico para mostrar que votar é um dever”, explicou Dora Pires, para quem deve-se votar para melhorar a situação de São Vicente.

A candidata entende ainda que há jovens em São Vicente que se levantam e, em vez de comer, consomem álcool, por falta de trabalho e de alternativa.

Dirigindo-se ainda ao eleitor que se queixou que o actual presidente calcetou as ruas do seu bairro, mas esqueceu da sua, Dora Pires disse que “já está na hora de dar uma oportunidade a António Monteiro para governar para todos os sanvicentinos”.

A mesma lembrou que o Movimento para a Democracia (MpD) está à frente da gestão da Câmara Municipal de São Vicente há 16 anos, dos quais 12 sob a liderança de Augusto Neves.

“Se vamos trabalhar para São Vicente é para todos, queremos uma câmara amiga que recebe todas as pessoas e que estas tenham voz para falar das suas dificuldades. Se não dermos oportunidade a outros, para trabalhar para São Vicente, ficaremos nessa dificuldade”, sentenciou a candidata da UCID à presidência da assembleia municipal.

Esta terça-feira, a equipa da candidatura da UCID está em contactos nas zonas de Alto Solarine e Fonte Filipe.

Para além de António Monteiro (UCID) concorrem ao cargo de presidente da Câmara Municipal de São Vicente Augusto Neves (MpD), Albertino Graça (PAICV) e Nelson Lopes (Movimento Mas Soncent).

Nas autárquicas de 2016, em São Vicente, concorreram Augusto Neves, pelo MpD, que teve maioria absoluta na câmara com 48,97 por cento (%) dos votos, António Monteiro (UCID), que conseguiu 28,28%, e Alcides Graça (PAICV) que teve 20,75%.

Em São Vicente, para as eleições do dia 25 de Outubro, estão inscritos 52.509 eleitores (mais 707 em relação ao escrutínio de 2016), distribuídos por 192 mesas de voto.

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4), São Vicente (1).

CD/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos