Autárquicas 2020/São Vicente: PAICV diz-se triste com a “ausência da CNE” face à vandalização de cartazes

Mindelo, 20 Out (Inforpress) – A candidatura do PAICV à câmara de São Vicente, liderada por Albertino Graça, diz-se hoje “triste” com a ausência da Comissão Nacional de Eleições (CNE) face à “violação de regras”, como a “vandalização de cartazes e de sedes”.

Estas declarações foram feitas à Inforpress pelo candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Albertino Graça, que repudiou tais actos, acrescentando que demonstram um sinal de “afronta” por parte do seu adversário.

O candidato disse que “o PAICV não tem muitos cartazes”, porque é uma candidatura que “defende a ecologia” e acredita que “o ambiente não merece tanto papel”. Mesmo assim, revelou que apesar de terem feito “um número mínimo de cartazes”, “as candidaturas adversárias tem-nos destruído para além de “vandalizar algumas sedes, tal como foi feito em Ribeirinha.”

“Já apanhamos algumas pessoas e temos fotografias. De todas as formas como eram poucos cartazes porque não defendemos a colagem de muito papel apenas registamos com muita tristeza”, confessou Albertino Graça, adiantando que a CNE “tem estado ausente”.

É que, no seu entender, muitas questões de “violação das regras de campanha” poderiam ser resolvidas “atempadamente”. Mas explicou que tal não tem acontecido   porque as queixas são remetidas para a Praia e a decisão não chega.

“Temos que encontrar alguma forma de resolver estas questões. Se mandarmos todas as queixas que surgirem para a Praia para serem resolvidas um mês depois as eleições já estarão ultrapassadas”, criticou o aspirante à presidência da Câmara Municipal de São Vicente, apiado pelo Partido Africano da Independência de Cabo Verde.

Para a mesma fonte, desta forma, “toda a gente vai violar as regras, sem nenhum problema, porque as queixas são enviadas para a cidade da Praia e a Comissão Nacional de Eleições não consegue resolvê-las.

Esta terça-feira, a equipa da candidatura de Albertino Graça está em contactos com a população de Fonte Francês.

Para além de Albertino Graça (PAICV), concorrem ao cargo de presidente da câmara de São Vicente António Monteiro (UCID), Augusto Neves (MpD)e Nelson Lopes  (Movimento Mas Soncente).

Nas autárquicas de 2016, em São Vicente, concorreram Augusto Neves pelo MpD, que teve maioria absoluta na câmara com 48,97 por cento (%) dos votos, António Monteiro (UCID), que conseguiu 28,28% e Alcides Graça (PAICV) que teve 20,7%.

Em São Vicente, para as eleições de 25 de Outubro estão inscritos 52.509 eleitores (mais 707 em relação ao escrutínio de 2016), distribuídos por 192 mesas de voto.

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para a Assembleia Municipal da Boa  Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras  municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1), Tarrafal (2), Praia (4) São Vicente (1).

CD/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos