Autárquicas 2020/São Vicente: PAICV defende que “é impossível projectar o desenvolvimento de São Vicente desligado de Santo Antão e São Nicolau”

Mindelo, 22 Out (Inforpress) – O candidato do PAICV à presidência da Câmara Municipal de São Vicente, Albertino Graça, disse hoje que não é possível projectar o desenvolvimento de São Vicente desligado das ilhas de Santo Antão e São Nicolau”.

Segundo Albertino Graça, apesar da autonomia ser um conceito “muito amplo”, a sua candidatura não defende a autonomia para São Vicente. Referiu que defende “a regionalização de São Vicente, Santo Antão e São Nicolau”, que, observou, “não é o que tem sido discutido a nível nacional”.

Para o candidato do PAICV, não se pode pensar o desenvolvimento de São Vicente sem pensar também no desenvolvimento de Santo Antão e de São Nicolau, que são duas ilhas que estão ligadas à São Vicente.

Albertino Graça defendeu que a regionalização impõe como uma “prioridade nacional”, enquanto instrumento de “combate às desigualdades e assimetrias regionais, de concretização do desenvolvimento equilibrado e harmonioso do país”.

Também afirmou que a regionalização “aprofunda a democracia e traz a possibilidade de controlo das decisões políticas pelas populações a quem as mesmas se dirigem”.

Lembrou ainda que a regionalização “pressupõe a possibilidade de se definir, a nível regional, a estratégia de desenvolvimento que se pretende prosseguir”, bem como de se “estabelecer as prioridades de investimento e mobilização de recursos para o seu cumprimento, com decisões tomadas em cada região por órgãos eleitos directamente pelas populações e perante as quais respondem”.

Por causa disso, o candidato do PAICV prometeu que caso seja eleito presidente da Câmara Municipal de São Vicente, vai “trabalhar com as câmaras destas duas ilhas no sentido de pensar na melhor estratégia de integração regional do norte do país”.

Hoje, a equipa de Albertino Graça está em contactos porta-a-porta na zona de Monte Sossego, onde, prevê-se a realização de uma “acção de rua” com a presidente do partido, Janira Hopffer Almada.

Para além de Albertino Graça (PAICV) concorrem ao cargo de presidente da câmara de São Vicente António Monteiro (UCID), Augusto Neves (MpD) e Nelson Lopes (Movimento Más Soncent).

Nas autárquicas de 2016, em São Vicente, concorreram Augusto Neves, pelo MpD, que obteve maioria absoluta na câmara com 48,97 por cento (%) dos votos, António Monteiro (UCID), que conseguiu 28,28%, e Alcides Graça (PAICV) que teve 20,75%.

Em São Vicente, para as eleições do dia 25 de Outubro, estão inscritos 52.686 eleitores (mais 884 em relação ao escrutínio de 2016), dos quais 177 cidadãos estrangeiros, distribuídos por 142 mesas de voto.

Participa na corrida o total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

CD/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos