Autárquicas 2020/São Vicente: PAICV afirma que falta de movimento do Mercado Municipal é sinónimo de decadência na ilha

Mindelo, 19 Out (Inforpress) – O candidato do PAICV à presidência da Câmara Municipal de São Vicente, Albertino Graça, disse hoje que a falta de movimentação no Mercado Municipal é o “reflexo da decadência económica na ilha”.

Albertino Graça fez estas considerações dirigindo-se a dois jovens eleitores que encontrou no Mercado Municipal de São Vicente, durante os contactos da sua equipa de campanha no centro da cidade do Mindelo.

O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) espelhou-se na “fraca movimentação” do mercado para criticar a actual gestão camarária e pedir o voto dos dois eleitores, apresentando as propostas que a sua candidatura tem para o emprego, economia e habitação.

No seu entender, essa falta de movimentação causa o efeito dominó em todos os sectores.

“São Vicente não tem movimento porque não tem trabalho, não tem actividades económicas e é por isso que este mercado está assim. Este mercado foi extremamente movimentado nas décadas atrás, portanto São Vicente tem vindo a cair até chegar a esse ponto”, criticou Albertino Graça, lembrando que “em 1991 era um problema para o antigo presidente da CMSV, Onésimo Silveira, gerir as pedras (vagas) no mercado porque havia muitas pessoas na bicha a querer vender no local”.

Para Albertino Graça, 12 anos de uma equipa camarária “é quase uma vida”. Pelo que defendeu que se a actual equipa tinha alguma coisa por fazer já a tinha feito.

“Não vejo uma obra estruturante que ele começou e que quer continuar, a não ser calçada”, adiantou o candidato do PAICV.

Para a mesma fonte os jovens não conseguem emprego porque não têm uma profissão. Por isso, Albertino Graça apresentou aos dois jovens eleitores, com quem conversou, o projecto da Escola Municipal de Formação Profissional para capacitar as pessoas reduzir o desemprego. Na área da habitação, o candidato referiu que a aposta deve ser na cooperação internacional.

Neste particular, deixou um recado ao actual presidente da Câmara de São Vicente: “O actual presidente deve tirar a camisola azul que ele veste, vestir-se como deve ser, entrar num avião e ir arranjar investimento externo”, sugeriu Albertino Graça.

Para além de Albertino Graça (PAICV), concorrem ao cargo de presidente da câmara de São Vicente António Monteiro (UCID), Augusto Neves (MpD)e Nelson Lopes  (Movimento Mas Soncente).

Nas autárquicas de 2016, em São Vicente, concorreram Augusto Neves pelo MpD, que teve maioria absoluta na câmara com 48,97 por cento (%) dos votos, António Monteiro (UCID), que conseguiu 28,28% e Alcides Graça (PAICV) que teve 20,7%.

Em São Vicente, para as eleições de 25 de Outubro estão inscritos 52.509 eleitores (mais 707 em relação ao escrutínio de 2016), distribuídos por 192 mesas de voto.

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para a Assembleia Municipal da Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1), Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) São Vicente (1).

CD/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos