Autárquicas 2020/Santa Cruz: “Estamos numa competição política, mas se entendem que é guerra vamos à guerra” – Pedro Alexandre

Pedra Badejo, 17 Out (Inforpress) – O candidato do MpD à liderança da autarquia santa-cruzense disse que se está numa “competição política e não numa guerra, mas se o adversário entender que é guerra irão à guerra”, mas apela à serenidade.

“Cabo Verde é um país democrático, estamos numa competição política e não na guerra, mas se entenderem que é guerra, vamos à guerra. Não sentimos medo de nenhum tipo de intimidação por parte do PAICV, queremos avisar que vamos passar pela rua principal de Achada Fátima e estamos preparados, não atiramos primeiro, mas se alguém tentar nos agredir vamos usar a legítima defesa”, declarou Pedro Alexandre Rocha, sobre a rixa de quinta-feira, que levou ao reforço da intervenção da polícia.

Conforme contou o candidato do Movimento para a Democracia (MpD), tudo aconteceu quando a sua caravana regressava de uma acção de porta-a-porta na zona de Ribeirão Boi.

“Tínhamos dezenas de carros e centenas de jovens vibrantes e quando entramos na cidade isso assustou os apoiantes e activistas do PAICV”, explicou.

O antigo edil santa-cruzense afirmou que a sua caravana não pode ser impedida de passar pela rua principal de Pedra Badejo só porque é onde fica a sede do PAICV, até porque, segundo mostrou, momentos antes a caravana do PAICV passou em frente à sede do seu partido e não foi impedida de passar.

Entretanto, frisou que quando tentaram passar diante da sede do PAICV a estrada foi bloqueada com camião e os activistas deste partido começaram a agredir os apoiantes do MpD e inclusive “deram pontapés e murros na sua viatura”.

“Quero dizer aqui alto e em bom som, o PAICV não consegue nos ameaçar e não nos impede de exercer a nossa cidadania”, fez saber.

Instado se não deveriam manter um certo distanciamento da outra candidatura, Pedro Alexandre respondeu que isso se aplica quando há comícios ou alguma manifestação, mas que é normal um partido organizar a sua caravana e passar diante da sede do adversário.

Entretanto, Pedro Alexandre apela à serenidade, calma, compreensão e à tolerância, tendo em conta que não se quer criar nenhuma situação de distúrbio.

O candidato esteve na zona de Chã da Silva, em Ribeira dos Picos, onde prometeu projectos que respondem aos anseios da população e acusou a câmara municipal liderada pelo seu adversário Carlos Silva “Sueck” de ter abandonado a comunidade por “revanchismo politico”.

Nas eleições de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais, no concelho de Santa Cruz concorreram dois candidatos, tendo o PAICV (Carlos Silva) conquistado a câmara com 5.542 votos (50,30%) e o MpD (Manuel da Luz Tavares) obtido 5.227 votos (47,44%).

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, em Santa Cruz, estão inscritos 17.137 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 15.866, dos quais 10.726 votaram).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

WM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos