Autárquicas 2020/Santa Catarina: O feedback dos eleitores e as sondagens garantem que vamos vencer as eleições – Armindo Freitas

Assomada, 23 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à presidência Câmara Municipal de Santa Catarina, Armindo Freitas, está certo da vitória nas eleições de domingo, assim como apontam os dados que o partido diz ter.

Armindo Freitas acrescenta ainda que a equipa que lidera optou por uma campanha com elevação, sem ataques pessoais e apresentando projectos e propostas directamente em cada comunidade.

Por isso, está certo que a mensagem conseguiu passar e que os cidadãos estão ávidos por uma “nova visão” para o concelho.

“Trabalhamos o tempo todo com fair-play e nunca atacamos os adversários. Nosso foco foi sempre as nossas propostas para Santa Catarina. Recebemos poucos ataques também. Acreditamos que isso se deve ao facto de termos gente respeitada na lista”, assegura Freitas.

No entanto, ao fazer o balanço dos 16 dias de campanha, o candidato lamentou práticas ilegais que diz ter denunciado e que ficaram sem resposta por parte das autoridades.

Freitas afirma que a candidatura do MpD beneficiou de acções da câmara durante todo o período de campanha e que as supostas ilegalidades são do conhecimento público.

“A câmara iniciou e concluiu obras que não estavam previstas, não estávamos orçamentadas e não constam do plano de atividades. Tudo durante o tempo de campanha. Foi possível registar a presença do candidato no terreno junto com técnicos e com a empresa que executou a obra, a fazer medições às claras, para todo o mundo ver”, afirma.

O candidato diz que há ilegalidades ainda mais graves: “em plena campanha, a câmara está a atribuir ajudas a diversas pessoas. Há pessoas com senhas e em filas nas lojas de empresários apoiantes da candidatura do MpD”.

Armindo Freitas diz ter formalizado denúncias na Comissão Nacional de Eleições (CNE), mas que não registou nenhuma resposta efectiva para coibir as práticas.

“Entendemos que a CNE e a Polícia Nacional deveriam ser mais interventivas de forma a termos uma campanha mais imparcial possível”, avança.

Por outro lado, Armindo Freitas, convencido da vitória, diz que se aproxima uma nova era na câmara e que a chegada do PAICV à câmara será também vitória do município, das famílias e de todas as localidades de Santa Catarina.

Nas autárquicas de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais, no concelho de Santa Catarina concorreram dois candidatos, tendo o MpD (José Alves) conquistado a câmara com 7.705 votos (49,86%), e o PAICV (Alcídio Tavares) obtido 7.289 votos (47,17%).

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, estão inscritos 26.300 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 24.398, dos quais 15.452 votaram).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

EP/DR

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos