Autárquicas 2020/Sal:  “Sociedade em Acção para a Liberdade” acredita que “vai devolver às pessoas propósito e esperança na mudança”

Espargos, 17 Out (Inforpress) – A proponente do Grupo Independente “Sociedade em Acção para a Liberdade” para a Assembleia Municipal do Sal, acredita que esta candidatura dá voz às pessoas e as devolve propósito e esperança na mudança do sistema político actual.

Esta é, segundo Titsiana Spencer , a maior motivação que a levou a aceitar fazer parte do grupo independente, que no seu ponto de vista, tem sido à porta-voz de “quem almeja mudanças e oportunidades para colaborar seriamente no desenvolvimento desta ilha”.

“A minha motivação prende-se primeiramente por ser um grupo jovem, mas, também, por identificar-me com a causa. Estava, tal como muita gente, sobretudo jovens, revoltada pela forma, como o sistema governamental local e central tem sido gerido, levando ao descrédito das pessoas e, deixá-las sem opções de vida”, indicou.

Titsiana Spencer confessa que nunca antes pensara em envolver-se com a política, baseando-se na sua postura como activista social na ilha, especialmente, na Cidade de Santa Maria, mas, quando a abordaram, sentiu “um discurso diferente dos outros”.

Para esta candidata, treinadora e activista social, a ilha do Sal, sobretudo, a cidade de Santa Maria, carece de atenção especial, no que toca aos problemas sociais, e sempre defendeu que a educação e o desporto representam um enorme potencial para resgatar e dar oportunidades aos jovens.

Titsiana Spencer argumentou ainda, que, para que isso aconteça, as pessoas, sobretudo pais/encarregados de educação e governantes precisam acreditar, investir com seriedade, ter objetivos definidos com visão futura e, sobretudo menta aberta para potenciar a juventude.

A candidata da “Sociedade em Acção para a Liberdade” concluiu, reforçando, que, pelo facto de esta candidatura mostrar-se preocupação com os problemas dos jovens, a força de vontade em enfrentar obstáculos, e uma visão com foco nas pessoas, reforçado com o lema “pobreza zero”, estará sempre disponível a seguir a iniciativa rumo à vitória a Câmara Municipal.

Na ilha do Sal, concorrem para estas eleições autárquicas, as listas do Grupo Independente “Sociedade em Acção para a Liberdade”, encabeçada por Adirley Gomes, do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), por Albertino Mosso e do Movimento para a Democracia (MpD), liderada por Júlio Lopes.

Nas autárquicas de 2016, na ilha do Sal concorreram quatro candidatos, sendo Júlio Lopes (MpD), que ganhou a câmara com 50,88% dos votos, Démis Lobo (PAICV) que obteve 43,58%, Jorge Rocha (UCID) 2,82%, e Paulo Jorge Lopes (PSD) 0,34%.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, na ilha do Sal, estão inscritos 18.701 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 16.744, dos quais 9.633 votaram) distribuídos por 67 mesas de voto.

Participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

AR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos