Autárquicas 2020/Sal: “Salenses reagiram bem à nossa campanha e manifestam vontade de mudança” – candidato PAICV

Espargos, 23 Out (Inforpress) – O candidato do PAICV à câmara do Sal, Albertino Mosso, considerou hoje, último dia da campanha eleitoral, que os salenses reagiram “bastante bem” à mensagem da sua candidatura “Respostas ousadas com Tino”, expressando “vontade de mudança”.

A festa do encerramento da campanha da “onda amarela” será assinalada, hoje, com um minicomício no relvado da Academia do Académico do Sal, nos Espargos, a partir das 20:00.

“A nossa campanha tem sido uma campanha positiva, e o povo está à espera de um líder com tino. Então, isso vai acontecer com a nossa candidatura que tem respostas ousadas para o povo do Sal”, disse Tinó como é também conhecido no meio salense.

“Em todos os lugares por onde passamos sentimos que as pessoas querem um novo fôlego, um fôlego de mudança e de esperança”, concretizou.

Augurando uma nova era para a ilha do Sal a partir de 25 de Outubro, Albertino Mosso disse estar convicto da vitória porque Sal está à procura de um líder.

“E o líder já se apresentou, Tinó, Albertino Mosso. Estamos prontos para enfrentar esse desafio, e elevar a ilha do Sal a um nível de desenvolvimento competitivo e apetecível”, sublinhou o aspirante à cadeira presidencial do município.

Segundo o cabeça de lista da candidatura do PAICV, durante estes dias em que a equipa calcorreou todos os bairros e localidades, a impressão que fica, disse, é que “toda a ilha precisa” de uma lufada de ar fresco.

“De Palmeira a Pedra de Lume, Espargos… Santa Maria nem se fala porque uma cidade completamente abandonada”, considerou.

Perguntado se tem estado ansioso por causa da corrida às eleições autárquicas, Tinó respondeu que nem por isso, que tem “dormido bem”, já que cada dia é um dia.

“O meu ritmo de vida não tem mudado. Cada dia é um dia, trazendo-me mais alento para servir a ilha do Sal. Por isso que aceitei este desafio de mudança”, conta Tinó que vive no Sal há cerca de 30 anos, e para quem o povo do Sal “está refém” do sistema.

“A ilha do Sal e sua gente precisam respirar e viver a plenitude da liberdade”, enfatizou.

Tinó Mosso conclui, lançando um apelo ao povo do Sal, às famílias, jovens, vizinhos, simpatizantes e amigos do PAICV, no sentido de irem votar em massa para provocar, de facto, “essa tão desejada mudança” na ilha turística.

Na ilha do Sal, concorrem para estas eleições autárquicas, Albertino Mosso, apoiado pelo PAICV, o grupo Independente – Sociedade em Acção para a Liberdade -, encabeçado por Aldirley Gomes, e o Movimento para a Democracia (MpD), liderado por Júlio Lopes.

Nas autárquicas de 2016, na ilha do Sal concorreram quatro candidatos, sendo Júlio Lopes (MpD), que ganhou a câmara com 50,88% dos votos, Démis Lobo (PAICV) que obteve 43,58% dos votos, Jorge Rocha (UCID) 2,82%, e Paulo Jorge Lopes (PSD) 0,34%.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, na ilha do Sal, estão inscritos nos cadernos eleitorais 18.710 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 16.744, dos quais 9.633 votaram) distribuídos por 67 mesas de voto.

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4), São Vicente (1).

SC/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos