Autárquicas 2020/Sal: Candidato do PAICV à AM diz que será garante de estabilidade e regular funcionamento 

Espargos, 20 Out (Inforpress) – O pretendente à presidência da Assembleia Municipal do Sal (AM) Manuel Portugal assegurou que não será factor de perturbação das instituições, mas sim garante de sua estabilidade e regular funcionamento, no exercício das suas funções.

“Não serei factor de perturbação, mas sim garante de estabilidade e de regular funcionamento tal como manda o Estatuto do Município, a lei das finanças locais, e as demais legislações que regulam o funcionamento do território municipal”, reforçou Manuel Portugal, durante intervenção numa das actividades de campanha do PAICV, perante presença de amigos, simpatizantes e militantes do partido.

Portugal assegurou, também, caso for escolhido para conduzir os destinos da AM, que não “interferirá” nem “dificultará” a vida a qualquer governo municipal, porém, deixou claro, que não presidirá de braços cruzados ao “desgoverno” do território municipal ou à degradação das suas condições de vida.

“Não presidirei de braços cruzados ao “desgoverno” do território municipal ou à degradação das suas condições de vida, da sua essencial coesão social, do seu desenvolvimento, da sua justiça, da sua democracia e da dignidade dos salenses”, clarificou.

“A minha candidatura é também candidatura dos que não tiveram voz até agora ou dos que se desiludiram com a política, e dos que acreditam que a política não se esgota com os políticos”, completou.

Admitindo que há espaços para promover uma maior participação dos cidadãos na vida do município, Manuel Portugal disse que tudo fará para desenvolver sessões descentralizadas da Assembleia Municipal, aumentar acções e participação dos jovens nas discussões dos projectos e programas do seu interesse.

“A participação dos jovens na vida pública é um dos propósitos da nossa candidatura e isso é, sem dúvida alguma, um dos factores que contribuirá para o fortalecimento da democracia e aumento da riqueza dos debates sobre os desafios e problemas do nosso município”, concluiu.

Manuel Portugal disse ter aceitado esse desafio porque a sua visão de crescimento e desenvolvimento desta ilha, se enquadra em “Respostas ousadas com Tino”, conforme slogan da candidatura do PAICV à Câmara Municipal, encabeçada por Albertino Mosso.

Na ilha do Sal, além de Albertino Mosso, apoiado pelo PAICV, concorrem para a presidência da câmara, Aldirley Gomes, do Grupo Independente Sociedade em Acção para a Liberdade, e Júlio Lopes, pelo Movimento para a Democracia (MpD).

Nas autárquicas de 2016, concorreram quatro candidatos, sendo Júlio Lopes (MpD), que ganhou a câmara com 50,88% dos votos, Démis Lobo (PAICV) que obteve 43,58% dos votos, Jorge Rocha (UCID) 2,82%, e Paulo Jorge Lopes (PSD) 0,34%.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, na ilha do Sal, estão inscritos 18.701 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 16.744, dos quais 9.633 votaram) distribuídos por 67 mesas de assembleias de voto.

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos