Autárquicas 2020/Sal: Candidato do MpD à Assembleia Municipal quer continuar a trabalhar para elevar nível de desenvolvimento da ilha

Espargos, 20 Out (Inforpress) – O pretendente à presidência da Assembleia Municipal do Sal (AM) Nuno Lopes entende que o futuro se conquista com ambição, razão por que deseja continuar a trabalhar “para engrandecer e elevar o nível de desenvolvimento da ilha do Sal”.

Natural de São Vicente, Nuno Lopes, de 39 anos, médico de profissão, entra na política em 2016, mantendo-se até 2019 como deputado municipal do Sal e líder da bancada do Movimento para a Democracia.

Em 2020, como número dois da lista da AM, Nuno Lopes veio a ocupar as funções de presidente da mesa, em substituição de Carlos Santos, que foi chamado para fazer parte do elenco governamental, assumindo a pasta do Turismo e Transportes.

Hoje, candidato à sua própria sucessão, Nuno Lopes diz que assumiu mais esse desafio porque “cuidar do Sal é cuidar de Cabo Verde”.

“O futuro conquista-se com ambição, mas a ambição está no trabalho que exige de nós sacrifícios, mas que valem a pena, porque acrescentam horizonte para o futuro. E na política é isto que vale a pena”, enfatizou.

Destacando o papel da Assembleia Municipal, “não menos importante, embora que discreto”, conforme disse, Nuno Lopes pede as pessoas a continuarem a acreditar nesta candidatura “credível e do desenvolvimento da ilha.

“Já trabalhamos, já demos provas disso. E vamos continuar a trabalhar muito mais e melhor para a população da ilha do Sal”, frisou, observando que para isso será preciso uma “forte” AM.

Assim, mais uma vez, apela ao voto dos salenses, tanto na equipa camarária como na Assembleia Municipal para possibilitar a aprovação dos planos, dos instrumentos de gestão “sem embaraços”.

“Já entramos na recta final. A nossa mensagem já passou. Mas, nada está ganho. Por isso, o apelo final é as pessoas irem votar em consciência. E, o voto em consciência é em Júlio Lopes, no MpD e nessa equipa da Assembleia Municipal”, concluiu.

“Esta é uma candidatura de convicção, não estamos a pedir um voto de confiança…estamos a pedir um voto de continuidade, porque sabemos que a população do Sal acredita nesta equipa, nesta assembleia, em Júlio Lopes e seus vereadores, e neste Governo”, estimulou.

Na ilha do Sal, além de Albertino Mosso, apoiado pelo PAICV, concorrem para estas eleições autárquicas, Aldirley Gomes, do Grupo Independente Sociedade em Acção para a Liberdade, e o Movimento para a Democracia (MpD), liderado por Júlio Lopes.

Nas autárquicas de 2016, concorreram quatro candidatos, sendo Júlio Lopes (MpD), que ganhou a câmara com 50,88% dos votos, Démis Lobo (PAICV) que obteve 43,58% dos votos, Jorge Rocha (UCID) 2,82%, e Paulo Jorge Lopes (PSD) 0,34%.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, na ilha do Sal, estão inscritos 18.701 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 16.744, dos quais 9.633 votaram) distribuídos por 67 mesas de assembleias de voto.

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

SC/FP//CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos