Autárquicas 2020/Sal: As pessoas já estão a ter sinais do que será governação da ilha se o MpD vencer – candidatura PAICV

Espargos, 19 Out. (Inforpress) – A candidatura do PAICV para as eleições autárquicas de 25 de Outubro diz que as pessoas já estão a ter sinais do que será a governação do Sal, se a equipa do MpD vencer estas eleições.

“Estão a ter sinais de instabilidade que poderá vir a reinar, quando o número um e o número dois não se alinham, não há lealdade, cumplicidade (…), analisou, Kátia Carvalho, integrante da lista de candidatos para a assembleia municipal, e ponto focal da imprensa.

“O que poderá ser fatal para a ilha do Sal, em anos que se perspectivam difíceis para a ilha, tendo em conta a sua economia centrada no turismo e na aviação, sectores em crise, neste momento, devido à pandemia”, encarou.

Segundo Kátia Carvalho, “as últimas revelações” vêm dar “mais força e crédito” ao PAICV, já que unido e focado no desenvolvimento da ilha.

“As actividades têm decorrido muito bem. Temos passado, igualmente, uma mensagem forte. Mostrar a população que deve estar atenta à ilha, para que os munícipes saibam avaliar, de facto, o que esta câmara fez”, disse, referindo que os maiores desafios propostos neste mandato ficaram “aquém do objectivo”.

“Por exemplo, Júlio Lopes conseguiu construir apenas sete casas sociais na Palmeira, e no final do mandato, não construiu, uma sequer nas outras localidades, sobretudo onde temos o maior deficit habitacional, que é na zona norte dos Espargos. E, refugia-se nas obras do PRAA do Governo, diz: nós fizemos”, reprovou.

Daí, acautelar, que neste momento, Júlio Lopes, a sua equipa e plataforma estão a ser avaliados.

“Se nós analisarmos, especificamente, e no terreno, o que foi feito, chegaremos à conclusão que ele não conseguiu cumprir. Por isso, tem necessidade de confundir a população dizendo: nós fizemos… quando foi o Governo que fez as coisas que está a dizer. Os munícipes, os salenses têm de estar muito, muito atentos”, comentou.

Este fim-de-semana a “onda amarela” do PAICV continuou em contactos porta-a-porta na zona de Hortelã de baixo, Chã de Fraqueza, e esteve no Polivalente Cascais para a apresentação dos candidatos.

Hoje estará no Bairro Novo, Holandinha, Alto São João e Murdeira.

Na ilha do Sal, concorrem para estas eleições autárquicas, Albertino Mosso, apoiado pelo PAICV, o grupo Independente – Sociedade em Acção para a Liberdade -, encabeçado por Adirley Gomes, e o Movimento para a Democracia (MpD), liderado por Júlio Lopes.

Nas autárquicas de 2016, na ilha do Sal concorreram quatro candidatos, sendo Júlio Lopes (MpD), que ganhou a câmara com  50,88% dos votos, Démis Lobo (PAICV) que obteve 43,58% dos votos, Jorge Rocha (UCID) 2,82%, e Paulo Jorge Lopes (PSD) 0,34%.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, na ilha do Sal, estão inscritos nos cadernos eleitorais 18.710 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 16.744, dos quais 9.633 votaram) distribuídos por 67 mesas de voto.

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

SC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos