Autárquicas 2020/Praia: Partido Popular dá cartão vermelho às obras da câmara da Praia liderada por Óscar Santos

Cidade da Praia, 14 Out (Inforpress) – A candidatura do Partido Popular (PP) liderado por Amândio Vicente à presidência da câmara da Praia deu hoje cartão vermelho às obras executadas pela autarquia praiense representado por Óscar Santos, considerando-as de “obras apressadas” que não produzem efeito.

No bairro de Achada Grande Trás, onde priorizou hoje os seus contactos com o eleitorado, onde também se encontrava a equipa adversária do Movimento para a Democracia (MpD), liderada por Óscar Santos, o PP, contestou primeiramente a postura das candidaturas do MpD e do PAICV por não estarem a respeitar as medidas de segurança impostas neste contexto de pandemia.

O candidato a vereador do PP Felisberto Semedo acrescentou, dizendo que esses políticos são pessoas com responsabilidade na matéria que em vez de fazerem escolas diferentes, fazendo com que as pessoas mantenham o distanciamento, aproveitam estes 15 dias de campanha para à caça dos votos a todo o custo.

“Portanto, neste momento, os partidos políticos não estão mais a pensar na questão de distanciamento, mas sim, no agrupamento de pessoas para saírem bonito na fotografia”, frisou.

Por outro lado, afirmou que constaram neste bairro construções apressadas por parte da Câmara Municipal da Praia, liderada por este presidente cessante, que em nada abonam o munícipe da Praia, com construções tipo calcetamento, asfalto noutras zonas, pequenos arranjos, praças, e outras, “sem nenhuma estrutura”.

O número dois da lista do Partido Popular acusa que são dinheiro e mais dinheiro gastos sem efeito.

“Damos um cartão vermelho a essas obras, porque um presidente que foi eleito, durante quatro anos do seu mandato vem só agora fazer obras apressadas. Todo o praiense sabe que isto não produz efeito. Nós gostaríamos que houvesse uma norma que arbitrasse quando um candidato promete e ganha as eleições e não faz tudo o que tinha de fazer dentro do seu tempo”, almejou.

Entretanto, o Partido Popular prometeu, caso seja eleito, fazer diferente, ou seja, vai focar na habitação e acção social, na questão do saneamento básico, até porque, afirmou Felisberto Semedo, há coisas que um edil de qualquer concelho deve respeitar.

Além de Amândio Barbosa Vicente (PP), concorrem às eleições de 25 de Outubro, na Praia, Any Reis (Sociedade Civil), Carlos Lopes (L.U.T.A), Denise Tavares (DSB), Francisco Carvalho (PAICV), Francisco Silva (UCID), Jeremias Garcia (MPJT) e Óscar Santos (MpD).

Nas eleições de 2016 neste município concorreram cinco listas, tendo o MpD (Óscar Santos) conquistado a câmara com 62,74% dos votos, PAICV (Cristina Fontes) 32,43%, UCID (Francisco Silva) 1,77%, PP (Amândio Vicente) 0,61%, e PTS (José Augusto Fernandes) 0,26%.

A nível nacional participa na corrida a estas eleições um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 candidatos do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4), São Vicente (1).

ET/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos