Autárquicas 2020/Praia: PAICV propõe criar Instituto Politécnico da Praia para garantir acesso à formação profissional dos jovens

Cidade da Praia, 14 Out (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), através do seu candidato, Francisco Carvalho, prometeu hoje caso seja eleito, apostar na criação do Instituto Politécnico da Praia e assim contribuir para o acesso dos jovens à formação profissional.

Segundo Francisco Carvalho, que falava à imprensa hoje no bairro de Achadinha, os jovens são os mais prejudicados com a falta de oportunidade de emprego, porque não conseguem ter acesso à formação profissional, daí que prometeu, caso vença as eleições, criar o Instituto Politécnico da Praia para os apoiar.

“Esta proposta surgiu depois do diálogo com muitas pessoas. Para este instituto vamos trazer um pacote completo de apoio, sendo que os jovens que foram seleccionados, vão ter apoio para pagar a propina, transporte, material escolar e ainda na alimentação, uma vez que muitos deles não conseguem ir à escola” explicou.

Para esta candidatura que quer uma “Praia para Todos”, a resposta que a câmara vai dar, vai ao encontro da realidade para ajudar na resolução do problema, considerando o pacote completo para a juventude, um apoio fundamental para se quebrar o ciclo de pobreza, no seio das famílias.

“Porque esta Praia vai passar a ser uma cidade para todos, para que de facto os jovens seleccionados mantenham a cabeça fria para estudarem e avançar na vida”, acrescentou.

Convidado pela imprensa para fazer uma leitura do slogan da candidatura adversária, neste caso, do MpD (poder), que diz “Praia não pode parar”, Francisco Carvalho contestou o mesmo, dizendo que é preciso analisar bem cada slogan trazido nos tempos de campanha.

“A Praia para não parar de praticar a corrupção, de demolir as casas das pessoas mais pobres, de perseguir os rabidantes (…) de entregar a uma única empresa terrenos correspondente a 160 campos de futebol e não beneficiar os mais desfavorecidos com um lote para construírem as suas casas?”, questionou.

“É esta Praia que uma pessoa tem coragem de dizer para não parar?”, questionou, afirmando que esta Praia hoje tem o “estatuto especial da corrupção”, com processo no tribunal.

Para as eleições de 25 de Outubro, na Praia, estão inscritos nos cadernos de recenseamento 86.180 eleitores.

Além de Francisco Carvalho, concorrem às eleições de 25 de Outubro, na Praia, Amândio Barbosa Vicente (PP), Any Reis (Sociedade Civil), Carlos Lopes (L.U.T.A), Denise Tavares (DSB), Francisco Silva (UCID), Jeremias Garcia (MPJT) e Óscar Santos (MpD).

Nas eleições de 2016 neste município concorreram cinco listas, tendo o MpD (Óscar Santos) conquistado a câmara com 62,74% dos votos, PAICV (Cristina Fontes) 32,43%, UCID (Francisco Silva) 1,77%, PP (Amândio Vicente) 0,61%, e PTS (José Augusto Fernandes) 0,26%.

A nível nacional participa na corrida a estas eleições um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 candidatos do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4), São Vicente (1).

ET/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos