Autárquicas 2020/Porto Novo: Nilton Dias acredita que conseguiu passar mensagem da necessidade de “uma mudança” neste município 

Porto Novo, 23 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde a presidente da câmara do Porto Novo disse hoje que conseguiu “passar a mensagem de que é preciso mudar” a gestão camarária “para criar mais oportunidades aos jovens”.

“Acreditamos que a nossa mensagem passou. Uma mensagem de que é preciso uma mudança na câmara do Porto Novo para criar mais oportunidade aos jovens, para melhorar a habitação, para desenvolver a agricultura, a pesca, o turismo, o comércio”, notou Nilton Dias, que acredita numa vitória nas eleições autárquicas, deste domingo.

O candidato do PAICV disse ainda que espera “uma mudança na câmara” para “uma gestão mais séria e transparente” da autarquia, “uma mudança em que não haja promiscuidade como tem acontecido até agora, uma mudança para mais saúde e mais educação”.

Nilton Dias, caso vença as eleições, promete “mudar sobretudo a forma de fazer política” no concelho do Porto Novo “com proximidade, sem arrogância e com muita humildade”, mas também, adiantou, “para os porto-novenses sentirem que a câmara pertence a todos e não a um grupo”.

Por onde passou ao longo da campanha eleitoral, a candidatura do PAICV “sentiu a necessidade de mudança” porque as pessoas, segundo Nilton Das, “querem algo diferente, querem que Porto Novo seja realmente de todos”.

“A outra candidatura perspectiva continuidade do desemprego, da pobreza, das desigualdades sociais e continuidade do favorecimento de algum grupo”, avançou o candidato do PAICV, que vaticina “um Porto Novo onde todos se sentem valorizados e orgulhosos de pertencer a este concelho”.

Nilton Dias referiu que o MpD pautou a sua campanha pelo “esbanjamento num concelho ainda com muita pobreza” e, por isso, acredita que este domingo “O PAICV vai ser recompensado” pela sua “humildade” demonstrada nesses 15 dias de campanha eleitoral.

Este candidato voltou a apontar o dedo à equipa camarária cessante que teve, segundo ele, cerca de três milhões de contos à sua disposição, mas “mesmo com tanto dinheiro acabou por abandonar o interior do concelho” nesses últimos quatro anos.

Segundo Nilton Dias, a câmara presidida por Aníbal Fonseca, candidato do MpD à sua própria sucessão, “teve muito dinheiro” durante o anterior mandato, que “foi mal gerido”, razão pela qual a edilidade nunca apresentou contas ao Tribunal de Contas.

Nas autárquicas de 2016, no concelho do Porto Novo concorreram os candidatos Aníbal Azevedo Fonseca (MpD), que alcançou 49,79 % dos votos, e Rosa Lopes Rocha (PAICV), que obteve 46,78 %.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, em Porto Novo, estão inscritos nos cadernos eleitorais 13.324 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 12.506, dos quais 9.066 votaram), que escolherão, a 25 de Outubro, os órgãos autárquicos para dirigirem o município nos próximos quatro anos.

A nível nacional participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos