Autárquicas 2020/Porto Novo: Candidato da UCID acredita numa “verdadeira mudança” neste município

Porto Novo, 18 Out (Inforpress) – O candidato da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) a presidente da câmara do Porto Novo disse hoje acreditar numa “verdadeira mudança” neste município a partir do dia 25 de Outubro, data das eleições autárquicas, em Cabo Verde.

Domingos Rodrigues disse ter constatado, ao longo desta campanha eleitoral, que a população do Porto Novo está “cansada” com a forma como se tem gerido este concelho ao longo dos quase 30 anos de poder local, “uma gestão apenas para servir alguns grupos”, mas que a UCID apresenta-se como “alternativa para mudar” este tipo de gestão.

“A população está cansada de tudo isso. A UCID é alternativa e estamos a desafiar os porto-novenses para testarem a UCID, para dar a este partido o voto de confiança para poder mostrar um trabalho diferente”, declarou o candidato da UCID, que prometeu “um trabalho diferente, com qualidade, para servir o povo”.

“Temos fé que, desta vez, a UCID merecerá o voto dos porto-novenses para mudar a forma de gerir o concelho. Queremos servir o povo e não aproveitar do povo”, notou.

Domingos Rodrigues disse pretender fazer uma aposta “muito forte” na agricultura, que passará pelo investimento na mobilização de água e na introdução de tractores agrícolas, para facilitar o trabalho dos agricultores, à semelhança do que já acontece na ilha vizinha de São Vicente.

A pecuária merecerá também “a atenção” da equipa da UCID, que prometeu instalar no Porto Novo uma unidade de produção do pasto com recurso à hidroponia “para resolver de vez este problema” neste concelho.

Domingos Rodrigues voltou a defender a necessidade de um “plano de desenvolvimento económico” para Porto Novo, município que, a seu ver, é “muito afectado pelo desemprego”.

“Vamos mudar a forma de gerir este concelho. Temos um plano económico para desenvolver Porto Novo, através de uma aposta forte na agricultura, na pesca, na pecuária e no turismo”, notou este candidato.

A habitação é um outro domínio que preocupa a candidatura da UCID dado o estado de “milhares” de habitações, que representam, nesta altura, um perigo para vida das pessoas, já que os tectos ameaçam ruir a qualquer momento, explicou o proponente.

Domingos Rodrigues deseja também mudar a forma de gerir as delegações municipais, prometendo que, caso seja eleito, os delegados municipais serão escolhidos pelas populações ou mediante concursos públicos.

Nas autárquicas de 2016, no concelho do Porto Novo concorreram Aníbal Azevedo Fonseca (MpD), que alcançou 49,79 % dos votos, e Rosa Lopes Rocha (PAICV), que obteve 46,78%.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, em Porto Novo, estão inscritos nos cadernos eleitorais 13.324 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 12.506, dos quais 9.066 votaram), que escolherão, a 25 de Outubro, os órgãos autárquicos para dirigirem o município nos próximos quatro anos.

A nível nacional participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista, e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos