Autárquicas 2020/Mosteiros: Lourenço Lopes defende pólo universitário no Fogo e delegação municipal nas zonas altas

Cidade de Igreja, 15 Out (Inforpress) – A implantação de um pólo universitário no Fogo e a criação de uma delegação municipal nas zonas altas do Mosteiros foram hoje defendidas pelo candidato do MpD, que já se vangloria na mudança política a 25 de Outubro.

O candidato suportado pelo Movimento para a Democracia (MpD) manifestou estes desideratos na sua visita ao eleitorado de Pai António, onde criticou a “ausência de políticas municipais” da actual gestão camarária para a integração da juventude.

“Temos de dotar os jovens de formação, a todos os níveis. Fogo já precisa de um pólo universitário. Jovens dos Mosteiros e do Fogo têm potencial, criatividade, inteligência para colocar todas as suas capacidades ao serviço do desenvolvimento”, elucidou Lourenço Lopes, para quem o “principal beneficiário da mudança política vai ser os jovens dos Mosteiros”.

Na sua visita à localidade de Pai António, que juntamente com Monte Barro, Boca de Curral, Cutelo Alto, Cova Feijoal e Feijoal constituem as zonas altas, considera que pela sua importância, com um forte potencial agrícola (sobretudo pela produção do café do Fogo) precisa de uma delegação do serviço municipal e condições para a modernização da agricultura.

Defendeu ainda a renovação das plantas nas zonas altas, como forma de criar condições para aumentar a produção do café, imagem de marca do município, não só pela dimensão história dos Mosteiros, mas também enquanto factor da promoção municipal e empresarial no mercado nacional e internacional.

A promoção do turismo de natureza sustentado, investimento em habitação social, acesso a propriedades agrícolas e estradas em termos de caminhos vicinais foram enumerados por Lourenço Lopes nesta zona frutífera, pelo que apontou ainda como sendo primordial a aposta na transformação de frutas, para que Mosteiros seja uma referência nacional e criação de mais postos de trabalho.

Prometeu mais investimentos e grandes obras para Mosteiros, para que os trabalhadores e todos os sectores de actividades tenham mais trabalhos, evitando a dependência total do estado.

Condenou a discriminação a que alguns munícipes “reclamam junto da autarquia”, e asseverou o desejo de ser “o autarca de todos os mosteirenses”, capaz de unir todos os munícipes, numa nova visão da vida e da política, convicto de que o “povo em consciência decida o futuro do poder local”.

Nas eleições de 2016, concorreram três candidatos no concelho dos Mosteiros, tendo o MpD (Isidoro Gomes) alcançado 1.995 votos (43,36%), o PAICV (Carlos Fernandinho Teixeira) 2.482 votos (53,94%), e o AMI (Pedro Centeio Gonçalves) 53 votos (1,15%).

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro estão inscritos nos cadernos eleitorais um total de 6.608 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 6.151, dos quais 4.601 votaram).

Para além da candidatura do MpD, liderada por Lourenço Lopes, está na corrida a Câmara Municipal dos Mosteiros Fábio Vieira, proponente do PAICV.

A nível nacional participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

SR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos