Autárquicas 2020/Maio: António Ramos reafirma que os maienses querem mudança porque a ilha “está estagnada”

Porto Inglês, 19 Out (Inforpress) – O candidato do PAICV à câmara do Maio reafirmou hoje que os maienses querem mudança na gestão autárquica porque “a ilha está estagnada”, consequência do “fraco investimento” em sectores chaves para o desenvolvimento económico e social.

António Ramos, que encabeça a lista do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) para a Câmara Municipal do Maio, nas eleições de 25 de Outubro, disse à Inforpress, que nesta derradeira semana de campanha a sua equipa reforçou os contactos personalizados para explicar a importância da mudança na gestão do município.

“A nossa proposta é também explicar as pessoas o estado em que se encontra o Maio, para que tenham uma noção de como ela se encontra em comparação com as demais ilhas a nível nacional, e o sentimento no seio da população é que a ilha está parada e estagnada”, salientou.

Confrontado sobre as declarações do candidato à sua própria sucessão, Miguel Rosa (MpD), de que ele está na frente na preferência eleitoral, António Ramos disse que não leva em conta as declarações do seu adversário.

“Se assim fosse, a candidatura contrária não solicitaria reforços do seu partido, que vai enviar, esta semana, altos membros do Conselho Nacional e até dirigentes da esfera governamental para o ajudar nesta campanha”, justificou.

“Quem está numa posição confortável não precisa de bengala, e o meu adversário está a precisar disso, razão pela qual solicitou reforço da Cidade da Praia”, completou, lembrando que a força da candidatura do PAICV vem da sua equipa e dos militantes e amigos afectos à lista.

Para António Ramos, a passeata com carros [promovida pela candidatura adversária] “não significa nada”, até porque, ironizou, “os carros não votam”.

Fez saber que a sua equipa está mais focada em passar a sua mensagem tanto nas redes sociais como através dos contactos porta a porta e na divulgação da plataforma eleitoral nos folhetos, com vista a alcançar o seu objectivo, que é vencer as eleições de domingo próximo.

Além de António Ramos, do PAICV, concorre à presidência da câmara do Maio, Miguel Rosa, do Movimento para a Democracia (MpD).

Nas eleições de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais,  concorreram na ilha do Maio dois candidatos, tendo o MpD (Miguel Rosa) conquistado a câmara com 1.996 votos (56,82%), e o OIAM (José Silva) alcançado 1.423 votos (40,51%).

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, estão inscritos 5.072 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 4.822, dos quais 3.503 votaram).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

WN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos