Autárquicas 2020/Brava: PAICV quer transformar Lomba e Ferreiros para “garantir sustentabilidade”

Nova Sintra, 20 Out (Inforpress) – A candidatura do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à Câmara Municipal da Brava prometeu “transformar” a zona de Lomba e Ferreiros, permitindo que estas zonas produzem e assim garantirem a sustentabilidade.

Clóvis Silva falava à imprensa na tarde de segunda-feira, após mais um dia de contacto com a população das localidades de Lomba Lomba, Figueiral, Lomba e Ferreiros.

Para cada uma dessas zonas apresentou as propostas específicas e as gerais que vão abranger a ilha toda durante o mandato.

Em Lomba Lomba, uma zona que segundo o mesmo tem poucas famílias, pretende intervir na melhoria da estrada de ligação, visto que a existente “já está a apresentar perigo para os residentes e condutores”, e também intervir na melhoria das “poucas” casas aí existentes.

Já a zona de Figueiral fica no caminho de Fajã d´Água e conforme avançou o candidato, tem estado a perder população para emigração ou por falta de condições da própria localidade, sendo necessário criar condições para que as famílias possam ter algum rendimento e melhorar as suas vidas.

E, a zona de Lomba, a primeira preocupação apresentada pelo candidato, é uma forma de “ocupar os jovens de forma a diminuir o consumo elevado de álcool e de droga”.

Pois, acentuou que esta situação demonstra que a população activa nesta “não se encontra num bom caminho”, sendo necessário apresentar-lhes oportunidades e alternativas para usarem os seus tempos livres, através do desporto, entretenimento, e da cultura.

Nesta zona piscatória, a candidatura tenciona criar um investimento na área da pesca, mas também está de olhos postos na “melhor forma” de aproveitar a água da zona vizinha, Ferreiros, para incrementar a produção agrícola, como forma de “voltar a Brava sustentável nestes sectores”.

Também, além dos investimentos e de uma placa desportiva, tencionam apoiar as famílias na questão social e tentar aumentar capacidade de conservar peixe, permitindo que durante o período sazonal “as famílias não sofram”.

“Queremos ter um entreposto no sector da pesca que traz a pesca semi-industrial para a zona”, finalizou o candidato.

Questionado sobre os próximos contactos, o cabeça de lista adiantou que a partir de agora vão começar a fazer encontros nas diferentes zonas e com grupos diversificados, incluindo jovens, artistas, mulheres, jogadores, entre outros.

Além de Clóvis Silva, do PAICV, concorre à presidência da câmara da Brava, Francisco Tavares, do Movimento para a Democracia (MpD)

Para as eleições de 25 de Outubro, na Brava, estão inscritos 4.683 eleitores, incluindo estrangeiros, distribuídos por 26 mesas de assembleias de voto (em 2016 o número de inscritos era de 4.435, dos quais apenas 2.836 votaram).

Nas eleições de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais, concorreram neste concelho, o MpD (Orlando Balla), que conquistou a câmara com 1.673 votos (58,99%), e o PAICV (Manuel Gomes) 1.111 votos (39,17%).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

MC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos