Autárquicas 2020/Brava: Clóvis Silva propõe descentralização dos recursos municipais com as organizações comunitárias

Nova Sintra, 16 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à presidência da Câmara Municipal da Brava garantiu que “se os recursos municipais forem descentralizados e distribuídos com as associações comunitárias, as pessoas vão sentir-se ocupadas sempre”.

Clóvis Silva falava à imprensa após uma caminhada às localidades de Cova Rodela e Cova Joana, que nem mesmo o sol escaldante os impediu de sair na tarde desta quinta-feira para passar a sua mensagem.

Segundo o cabeça de lista do PAICV na Brava, nestas duas zonas “há necessidade de alguma intervenção mesmo da sociedade civil organizada, para facilitar principalmente nas situações que podem ser resolvidas no dia-a-dia e ao longo do ano”.

O candidato falava das intervenções e limpezas nos caminhos vicinais, melhorias em alguns acessos, justificando que não são projectos que necessitam de grandes financiamentos.

Ou seja, explicou que serão financiamentos municipais feitos directamente para as associações comunitárias.

Além destas intervenções, apontou também as necessidades que muitas famílias destas localidades sentem a nível da promoção social, pois, conforme acentuou muitos dos moradores já possuem alguma idade, e nunca tiveram nenhum vínculo nem com um município ou outra entidade na ilha, e daí, não beneficiam da Protecção Social.

“Se o município conseguir ter uma gestão, descentralizar os recursos, a própria comunidade vai detectar onde há necessidade e vai intervir”, disse Clóvis Silva, sublinhando que esta é uma das filosofias de gestão da sua candidatura.

Já os projectos maiores, evidenciou que vão centralizá-los no município e fazê-los através dos financiamentos que vão procurar fora, ou através de recursos bancários, ou da mobilização de entidades nacionais ou internacionais.

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, na Brava, estão inscritos nos cadernos eleitorais 4.683 eleitores, incluindo estrangeiros, distribuídos por 26 mesas de assembleia de voto (em 2016 o número de inscritos era de 4.435, dos quais apenas 2.836 votaram).

Nas eleições de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais, concorreram neste concelho, o MpD (Orlando Balla), que conquistou a câmara com 1.673 votos (58,99%), e o PAICV (Manuel Gomes) 1.111 votos (39,17%).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

MC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos