Autarquia: Vereador estranha manifestação de trabalhadores e diz-se disponível para o diálogo

 

Cidade da Praia, 25 Ago (Inforpress) – O vereador do pelouro do Ambiente, Saneamento e Energia, mostrou-se hoje disponível para dialogar com os trabalhadores afectos ao serviço de recolha de lixo da Câmara Municipal da Praia, visando a resolução do problema existente.

Em declarações à imprensa, Paulo Velhinho disse estranhar a manifestação realizada pelos trabalhadores reclamando condições de trabalho, isso porque após a sua entrada na autarquia da Praia, nunca ter recebido sequer uma carta de reivindicação ou solicitando diálogo nesse sentido.

No entanto, considerou “falsa” a afirmação de que há falta de materiais de protecção, conforme reivindicado pelos trabalhadores num comunicado de imprensa, uma vez que anualmente é-lhes distribuído botas, fato de macaco, luvas, mascaras e outros.

O vereador que exibiu documentos assinados pelos trabalhadores no momento de receberem os materiais, explicou, que o que tem vindo a acontecer é que estes têm vendido os equipamentos e por isso solicitam sempre mais.

“A ultima entrega de botas foi feita a 11 de Agosto, e são materiais com duração de, pelo menos, dois anos. As máscaras e luvas são entregues de dois em dois meses, pelo que não encontramos cabimento para essa manifestação”, afirmou.

No que se refere à reposição e subsídios de risco, Paulo Velhinho esclareceu que em 2012 foi aprovado uma deliberação que especifica que tipos de técnico têm direito a este subsídio, assim como a percentagem que equivale a 5 por cento do salário do beneficiário.

Assim, indicou que os funcionários com direito a este subsídio são os afectos ao cemitério, à lixeira municipal, recolha de resíduos sólidos, operação com motosserras, oficina em trabalho de manutenção de equipamentos de recolha de lixo.

Quanto ao salário, justifica que os recursos são poucos e a cidade extensa, mas avança que o problema poderá ser resolvido com a existência do Estatuto Especial da Praia.

Entretanto, explicou que os trabalhadores com direito a promoção são apenas os que são do quadro da autarquia. Os contratados não usufruem desses direitos.

Cerca de 30 trabalhadores afectos ao serviço de recolha de lixo da Câmara Municipal da Praia protestaram hoje, na Cidade da Praia, exigindo melhores condições de trabalho, direito a subsídio de risco e actualização de salário.

PC/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos