Ensino Superior: Câmara de São Domingos e Instituto Politécnico de Viana de Castelo assinam protocolo

Cidade da Praia, 24 Jan (Inforpress)- A Câmara Municipal de São Domingos e o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), Portugal, assinaram hoje, naquele município do interior de Santiago, um protocolo que visa atribuição de vagas aos alunos para licenciaturas no referido instituto.

De acordo com o documento rubricado, o IPVC disponibiliza, para o ano lectivo 2022/2023, uma vaga para cada um dos cursos de Educação Social Gerontológica, Agronomia, Design do Produto, Engenharia Civil e do Ambiente, Engenharia Informática, Engenharia Mecatrónica, Engenharia da Computação Gráfica e Multimédia, Turismo (pós-laboral), Desporto e Lazer.

A propina estabelecida para o ano lectivo 2022/2023 varia entre 1.000 e 1200 euros anuais, em função da licenciatura escolhida, para cada estudante admitido e poderá ser pago em dez prestações mensais, com a primeira prestação a ser paga no acto da matrícula. A validade é de ano e é renovável.

Para o presidente da Câmara Municipal de São Domingos (CMSD), Isaias Varela, trata-se de mais uma oportunidade que os jovens daquele concelho estão a ter para também frequentarem o Ensino Superior em Portugal, mais propriamente no IPVC.

Segundo o mesmo, são vagas de cursos importantes e necessários para São Domingos, uma vez que, argumentou, querem formações que possam contribuir para o desenvolvimento do concelho.

“Para dizer aos jovens que esta oportunidade é para se formarem e para virem dar a sua contribuição, confiamos neste protocolo e esperamos que eles de facto aproveitem”, disse, observando que muitos jovens vão estudar no exterior e acabam por desistir porque as condições não são criadas.

Por este motivo, o edil prometeu que a autarquia irá fazer um “esforço” para adquirir um ponto focal de modo que as condições sejam criadas de Cabo Verde a Portugal, para que os jovens façam efetivamente a sua formação.

Isaías Varela lembrou também que se trata de um protocolo para disponibilização de vagas e não de bolsas, daí que, esclareceu, os alunos é que terão de assegurar as propinas, tendo ressalvado que a CMSD irá fazer “um esforço”, junto de algumas instituições com as quais mantém acordos de geminações para facilitar alguns apoios aos alunos.

Por seu turno, o presidente do IPVC, Carlos Rodrigues, destacou a importância deste protocolo que, segundo ele, abre portas a um conjunto de relações com o concelho de São Domingos e que “não se esgota” naquilo que é formação superior.

“Por questões de projectos, de trabalho conjunto nas mais diversas áreas. São Domingos com a sua região, impacta e trabalha um conjunto de dimensões importantes para o município e para as suas populações e digamos que essas dimensões naquilo que é a nossa investigação e a nossa relação até com os nossos territórios onde inserimos”, frisou Carlos Rodrigues.

Para este responsável, se se observar bem, há semelhanças entre ambos os territórios que nem se suspeitaria porque, exemplificou, ambos são de baixa densidade, onde a agricultura de subsistência é importante, a questão das transformações ambientais, as alterações que se sentem em São Domingos são “problemas” sentidas também em Viana de Castelo.

TC/JMV
Inforpress/ Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos