Autarcas e agricultores agradados com notícia da chegada de um barco para a linha Santo Antão/São Nicolau/Sal/Boa Vista

Porto Novo, 04 Out (Inforpress) – A introdução, em breve, de um navio propriedade do armador santantonense Evandro Oliveira, para a linha marítima Santo Antão/São Nicolau/Sal/Boa Vista, constitui “uma grande notícia” para os autarcas e agricultores da ilha.

Quem o diz é o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Orlando Delgado, que explicou que se trata de um barco dotado de condições de frio que, quinzenalmente, vai ligar estas ilhas, mas sobretudo fazer a interligação entre Santo Antão, Boa Vista e Sal, permitindo assim o escoamento dos produtos agrícolas santantonenses para esses mercados turísticos emergentes.

O navio, cujas características não foram avançadas, foi já baptizado e inicia dentro de pouco tempo a ligação marítima inter-ilhas, que “será um grande alento” para os produtores de Santo Antão, a enfrentarem, actualmente, o problema de mercado, devido, por um lado, ao embargo imposto  aos produtos agrícolas desta ilha e, por outro, a dificuldades de transportes, segundo Orlando Delgado.

“O barco já está a funcionar e será um grande alento para os agricultares, que terão a oportunidade de exportar para as ilhas do Sal e Boa Vista”, regozijou-se o autarca.

O Governo espera ainda este ano concluir o processo sobre os transportes marítimos inter-ilhas, uma medida “fundamental para o futuro” do  arquipélago, que irá facilitar o acesso às ilhas e aumentar as oportunidades de investimentos, uma garantia deixada, em Setembro, à Inforpress, pelo vice-primeiro-ministro, durante uma visita a Santo Antão.

“O concurso está avançar e esperamos que, ainda este ano, tenhamos uma solução para a ligação marítima inter-ilhas”, avançou, na ocasião, Olavo Correia, explicando que, além de melhorar, ainda mais, a ligação entre as ilhas, a resolução do problema dos transportes permite ainda “o acesso mais barato às ilhas” e o aumento das oportunidades para os demais sectores económicos.

Para o vice-primeiro-ministro, o Governo tem “todo o interesse” em resolver esta questão ainda em 2018,   “para o bem  de todos, do Governo, mas principalmente dos cabo-verdianos e daqueles que procuram Cabo Verde para investir”.

JM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos