Atentado/Manchester: Polícia britânica deixa de partilhar dados com EUA

 

Londres, 25 Mai (Inforpress) – A polícia de Manchester deixou de partilhar informação com as autoridades dos Estados Unidos na sequência da fuga de informações para a imprensa norte-americana em relação ao atentado de segunda-feira, informa hoje a BBC.

A divulgação de dados para a comunicação social norte-americana e a difusão na quarta-feira, pelo diário The New York Times, de imagens do local do ataque, que causou 22 mortos e 64 feridos, incluindo crianças, provocou um grande mal-estar entre as autoridades britânicas.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, deverá queixar-se hoje ao Presidente norte-americano, Donald Trump, sobre estas fugas de informação quando se encontrarem na cimeira da NATO, em Bruxelas, escreve a agência Efe.

A ministra do Interior britânica, Amber Rudd, disse na quarta-feira que enviou uma queixa ao Executivo norte-americano pela difusão de informações sobre o atentado de Manchester antes das autoridades britânicas terem comunicado oficialmente os dados sobre as investigações.

Fontes da Administração dos Estados Unidos adiantaram-se às autoridades britânicas ao revelarem aos meios de comunicação social dos Estados Unidos que o ataque de Manchester foi um “atentado terrorista” e que o autor foi Salman Abedi, um britânico de origem líbia.

Do mesmo modo, a polícia antiterrorista britânica lamentou a “divulgação não autorizada” de informações nomeadamente por parte dos Estados Unidos.

“Nós valorizamos em grande medida as relações que mantemos com os nossos parceiros dos serviços de informações e com as forças de segurança, a nível mundial, com quem partilhamos informações sensíveis. Mas, quando a confiança é quebrada as relações ficam comprometidas”, disse um porta-voz do organismo britânico.

Até à data a polícia do Reino Unido fez oito detenções relacionadas com o atentado.

Lusa/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos