Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Associações de pessoas com deficiência clamam por melhor atendimento e tratamento no sector da saúde

Cidade da Praia, 01 Mar (Inforpress) – As Associações de Pessoas com Deficiência querem melhor atendimento e tratamento no sector de saúde apesar de reconhecerem que, dia-após-dia, o sector tem avançado no que respeita à melhoria de cuidados para pessoas com deficiência.

A afirmação é do vice-presidente da Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC) e porta-voz das associações reunidas, Amâncio Montrond, em declarações à Inforpress, à margem do workshop de consultas para Global Disability Summit (GDS) a decorrer num dos hotéis da Cidade da Praia, de hoje até quarta-feira.

“No dia-a-dia as coisas vão melhorando, mas a nível de Cabo Verde ainda falta muito para atender as necessidades de pessoas com deficiência que, na sua maioria, os recursos são limitados para compra de medicamentos ou realização de exames solicitados”, disse.

Mesmo assim, sublinha que as dificuldades por que passam no sector da saúde são as mesmas que as outras pessoas, tudo dependendo de quem estiver a atender.

Amâncio Montrond considerou que as discrepâncias existentes devem ser trabalhadas para que as pessoas que têm o primeiro contacto do doente, seja ele deficiente ou não, seja um indivíduo com conhecimento e simpatia a ponto de aplicar bem a lei.

Neste caso, acredita que o inquérito a ser realizado no âmbito dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, componente Saúde para as pessoas com deficiência, venha a mudar muita coisa no sector, começando pela divulgação da lei para que as pessoas com deficiência tenham maior conhecimento dos seus direitos.

“Tudo isso, para que os responsáveis façam realmente valer o que está no papel, ou seja, uma maior prática das leis existentes”, observou.

Para isso, Montrond explicou que durante os três dias de workshop as associações de pessoas com deficiência vão analisar as leis existentes e apresentar subsídios para o melhoramento da sua aplicação.

O workshop de consultas para Global Disability Summit (GDS), que visa chamar a atenção a nível global e focar numa área negligenciada para mobilizar novos compromissos globais e nacionais, é fruto de uma parceria com a União Mundial dos Cegos (UMC) e a Aliança Internacional para as Pessoas com Deficiência (IDA).

Participam no evento 15 associações de pessoas com deficiência a nível nacional.

PC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos