Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

ANMCV propõe cooperação com Provedor de Justiça para acelerar processo de integração de imigrantes   

Cidade da Praia, 25 Jan (Inforpress) – A Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV) propôs hoje ao Provedor de Justiça a criação de um quadro de cooperação e de trabalho para acelerar o processo de integração de imigrantes e resolver os pendentes.

O presidente da ANMCV, Herménio Fernandes, que falava aos jornalistas momentos antes de se reunir com o Provedor de Justiça, assegurou que o Governo, a associação e o Provedor de Justiça já estão a trabalhar no sentido de minimizar os problemas pela qual passam os imigrantes.

“Há alguns desafios que precisam ser ultrapassados no que diz respeito a integração dos nossos imigrantes. A parceria com a Provedoria da Justiça, entidade que tem recebido queixas por parte dos imigrantes vai permitir criar um quadro de cooperação e uma agenda de trabalho que terá como propósito acelerar o processo de resolução desses pendentes”, mencionou.

Herménio Fernandes adiantou que já existem contactos com algumas instituições e considerou que com o envolvimento da Alta Autoridade para Emigração, Direcção de Emigração e Fronteiras, Provedor de Justiça e as câmaras municipais será possível resolver os problemas que afectam os imigrantes, sendo que Cabo Verde é um “País aberto ao mundo” e com uma vasta comunidade espalhada pelo mundo.

Segundo este responsável, a Alta Autoridade para Emigração está a trabalhar também como os municípios no sentido de garantir a instalação de um gabinete de apoio aos imigrantes em todas autarquias do País, visando dar respostas às inúmeras reclamações e demandas relativa à integração dos imigrantes.

Revelou que neste momento algumas câmaras municipais já dispõem de gabinetes de atendimento e apoio ao imigrante, mas assegurou que grande parte já tem serviço de balcão único, que atende questões relacionadas com os imigrantes.

“Estamos seguros que há condições para melhorarmos a este nível de atendimento, mas precisamos de uma melhor articulação e fazer uma agenda de trabalho que visa dar respostas a esses desafios”, constatou Herménio Fernandes, que se mostrou seguro de que a parceria irá “reforçar e melhorar” a capacidade de resposta das instituições.

Por seu turno, o Provedor de Justiça, José Carlos Delgado, lembrou que o seu gabinete tem recebido “muitas queixas”, sobretudo dos imigrantes da costa ocidental africana, relacionadas com a integração e inclusão social dos imigrantes.

“Existem reclamações na renovação dos cartões de residência, falta de contratos de trabalho, contratos de arrendamento e, ainda, problemas a nível da educação e da nacionalidade dos filhos de imigrantes que nascem em Cabo Verde, sendo que os pais não estão legalizados”, acrescentou.

AV/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos