Associação das Agências de Viagens e Turismo assegura tudo estar a fazer para minimizar o impacto do Covid-19

Cidade da Praia, 18 Mar (Inforpress) – A Associação das Agências de Viagens e Turismo de Cabo Verde (AAVT) disse hoje, em comunicado dirigido aos seus associados e a que a Inforpress teve acesso, que tudo está a fazer para minimizar o impacto da pandemia Covid-19

“Vivemos tempos difíceis! Estamos a navegar em águas nunca dantes navegados. A Pandemia do Coronavírus está a provocar uma crise internacional de dimensão incalculável, e Cabo Verde não é excepção”, começa por dizer a AAVT, afirmando que está “em sintonia com as autoridades” e que “é essencial este diálogo, com apresentação de propostas e sugestões, construindo as pontes necessárias para fazer face à actual situação”.

A associação aproveitou ainda para enaltecer publicamente “a coragem que o governo está a demonstrar na defesa da saúde pública”.

“O momento exige serenidade, solidariedade e sentido de responsabilidade. E se a ameaça à saúde pública é, e justamente, a face mais visível desta referida crise, as repercussões na saúde financeira do país, em particular das empresas do sector das viagens e turismo, é facto ao qual não há como descurar”, prossegue.

O governo anunciou hoje mais um conjunto de medidas de prevenção ao coronavírus em Cabo verde. Uma das primeiras medidas está relacionada com a antecipação do período de férias da Páscoa a ter início no próximo dia 23 de Março.

Das medidas tomadas destacam-se também a activação do Fundo Nacional de Emergência, com vista ao financiamento das acções de prevenção e resposta no âmbito da protecção civil e do sistema nacional de saúde e a criação de uma reserva nacional de equipamentos de protecção individual, destinados aos corpos de bombeiros, polícia e forças armadas.

Foi anunciado também o reforço da capacidade de recepção e despacho da Linha Verde 8001112, com instalação de mais postos de atendimento, bem como a afectação de profissionais de saúde para efeito de atendimento à população, durante o período diurno. Já ginásios, academias, escolas de artes marciais, de ginástica e similares devem ser evitados as suas frequências.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, assegurou que as importações de mercadorias vão continuar a abastecer o mercado nacional, não se prevendo qualquer ruptura de stocks.

GSF/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos