Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Associação congratula-se com recenseamento de táxis, mas sugere uniformização e colocação dos números nas viaturas

 

Cidade da Praia, 04 Dez (Inforpress) – O presidente da Associação dos Proprietários de Táxis na Cidade da Praia congratula-se com a iniciativa camarária de realizar o recenseamento geral de táxis, que inicia hoje, e sugere a uniformização e colocação dos números nas viaturas.

“Havíamos proposto que a câmara, através de uma parceria com alguma empresa, confeccionasse os números para colocação nos táxis, com o objectivo de evitar a falsificação. Existe uma lei clara sobre o tamanho e o lugar de colocação dos números”, informou João Vaz Antunes, em declarações à Inforpress.

Enquanto representante da classe, a associação sempre reivindicou a uniformização e colocação dos números nos táxis, reforçou o presidente da Associação dos Proprietários de Táxis na Cidade da Praia.

“O número de táxis que circulam na Cidade da Praia não corresponde à realidade, não corresponde ao da licença”, afirmou José Vaz Antunes, considerando este recenseamento “uma forma de organizar e disciplinar o sector” na capital do país.

Questionado se a associação foi informada sobre o recenseamento, João Antunes confirmou que a organização tem estado “em permanente contacto, diálogo e entendimento” com a câmara.

A Câmara Municipal inicia, esta segunda-feira, o recenseamento geral de táxis na Cidade da Praia, por um período de 75 dias, como o objectivo de “identificar as situações de irregularidade nos serviços de táxis e proceder à sua regularização.

Em conferência de imprensa, sexta-feira, a vereadora dos Assuntos Jurídicos e Juventude disse que a câmara constatou que, entre outras irregularidades, existem licenças de táxis emitidas em nome de uma pessoa e a viatura registada em nome de uma terceira pessoa.

Edna Oliveira denunciou também a existência de licenças atribuídas a uma pessoa e o imposto de circulação a ser pago em nome de uma terceira pessoa, pelo que a câmara não vai emitir licenças sem que a situação esteja toda clarificada.

O regulamento de táxis proíbe que a licença esteja atribuída a uma pessoa e a viatura no nome de uma outra pessoa e que um particular tenha na sua posse mais do que uma licença.

“Temos constatado ainda que alguns os proprietários têm procedido a venda de licença, através da publicação no Facebook. O regulamento também proíbe expressamente a transmissão de licença de táxis”, sublinhou a responsável.

De acordo com o regulamento camarário, quando os proprietários de táxis pretenderem vender uma licença devem dirigir-se à Câmara Municipal comunicar esse facto e solicitar uma autorização à edilidade”, alertou a vereadora, na conferência de imprensa.

O recenseamento vai ser efectuado na sequência de uma auditoria realizada aos serviços de táxis na Câmara Municipal da Praia em que foram dectadas algumas irregularidades e práticas no seio dos proprietários de táxis, no município da Praia.

A Câmara Municipal apela a todos os proprietários a se dirigirem-se ao gabinete jurídico da edilidade para proceder ao recenseamento do seu táxi. Caso contrário terão “imediatamente canceladas” as suas licenças.

JL/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos