Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Assembleia Municipal de Santa Catarina aprova voto de pesar pelo falecimento de Pedro Freire

Assomada, 14 Set (Inforpress) –  A Assembleia Municipal de Santa Catarina, interior de Santiago, reunida em sessão ordinária aprovou hoje um voto de pesar pela morte do ex-presidente da câmara local, Pedro Freire, e guardou um minuto de silêncio em sua memória.

O documento, aprovado por unanimidade, lembra o malogrado como “um homem político e magistrado, com uma carreira de grande craveira, totalmente dedicada à causa da magistratura judicial”.

“É com profunda tristeza que os Órgãos Municipais assinalam a morte do nosso saudoso e eterno Pedro Monteiro Freire de Andrade, salientando a sua dimensão humana, profissional e política, e transmitindo o mais sentido pesar à família e amigos. Todos sentimos profundamente a sua ausência”, lê-se no voto apresentado.

No documento os eleitos municipais manifestaram à família do malogrado as mais sentidas condolências e recomendaram à câmara municipal que pondere a atribuição do nome de Pedro Monteiro Freire de Andrade a uma artéria, praça ou jardim da cidade de Assomada, “cidade que ele tanto amou e pela qual tanto fez”.

Pedro Freire de Andrade faleceu a 28 de Agosto em Portugal, onde se encontrava de férias e a caminho de Cabo Verde.

Foi vítima de duas paragens cardíacas, após ter sido operado ao coração na sequência de um enfarte ocorrido na semana passada em Lisboa.

O magistrado trabalhava desde os finais de 2002 em Timor-Leste, depois de se ter candidatado a um cargo de assessoria jurídica nas Nações Unidas (via PNUD), para ajudar na formação de magistrados no novo Estado independente.

Com o fim da missão das Nações Unidas foi recrutado pelo Parlamento Nacional, também como assessor jurídico, onde trabalhava até agora (por cerca de dez anos), tendo contribuído para a elaboração e ajudado a aprovar muitos diplomas estruturantes do Estado de Direito Timorense.

Foi ministro da Justiça num dos Governos do Movimento para a Democracia (MpD) e, depois, presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, eleito nas listas deste partido.

FM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos