Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Artistas cabo-verdianos e italianos actuam em Setembro em Roma a favor do Movimento “Beira no coração”

Cidade da Praia, 27 Ago (Inforpress)  – Artistas cabo-verdianos e italianos vão actuar em conjunto dias 19 e 20 de Setembro, no Teatro Golden Academy em Roma (Itália),  em dois eventos que terão como fio condutor a música, a favor do Movimento “Beira no coração”.

Ao que apurou a Inforpress, no mesmo palco artistas como Cremilda Medina, Mirri Lobo, Jacqueline Fortes, Karin Mensah, Jerusa Barros, Alessandra Fortes Silva e Ondina Santos vão emprestar as suas vozes aos espectáculos em representação de Cabo Verde.

Da Itália, artistas como Grazia di Michele, Mariella Nava, Rossana Casale, Ivan Segredo, Ernesto Bassignano, Sismica, Roberta Bonanno, Lucilla Galeazzi, Edoardo de Angelis e Oggi 4uattro vão dar o contributo para esta “tão nobre causa”.

“E mais (…) com uma finalidade bem nobre: apoiar os nossos irmãos em Moçambique vitimas do ciclone IDAI. Se tudo correr bem iremos replicar anualmente, em Itália e em Cabo Verde, o evento, cada vez com uma finalidade benéfica diferente”, explica a presidente da Associação Kriol-Itá, Maria Silva, que está na organização deste evento e regozijou-se por este sonho “ encontrar felizmente quem acredita”.

Caboverdemania, OMCVI, Associação Nós d’Sintanton, Amici di Soncent e API são algumas das organizações cabo-verdianas sediadas nesse país europeu que estão envolvidas neste espectáculo.

Cremilda Medina já manifestou a sua “satisfação e honra” em partilhar o palco com os artistas destes dois países que lutam para uma causa considerada nobre.

“Beira no coração” é um Movimento da Sociedade Civil Cabo-verdiana, promovido pela Primeira-dama de Cabo Verde, Lígia Fonseca, visando angariação de fundos para apoiar as vítimas do ciclone IDAO em Moçambique.

De acordo com dados divulgados pelas autoridades moçambicanas, o Ciclonr IDAI provocou a morte de mais 600 pessoas, 1.642 ficaram feridas e cerca de 1,5 milhões ficaram afectadas.

O número de casas que foram totalmente destruídas ascende os 11 mil.

SR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos