Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

ARME assume compromisso de garantir sustentabilidade dos serviços postais e defesa dos direitos dos consumidores (c/áudio)

Cidade da Praia, 04 Mai (Inforpress) – O presidente da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME), Isaías Barreto, assumiu hoje o compromisso da instituição em garantir a estabilidade dos serviços postais no País, assim como os “direitos legítimos” dos consumidores.

Isaías Barreto fez esta intervenção à margem da assinatura de um Convénio de Qualidade de Serviço Postal Universal entre a ARME e os Correios de Cabo Verde (CCV).

Conforme apontou, o sector postal enfrenta hoje “desafios acrescidos”, sobretudo com a uma diminuição do número de correspondências, nomeadamente das tradicionais cartas a nível mundial e com “impacto gigantesco” dos serviços postais em todo o planeta.

Nesta linha, avançou que a ARME, enquanto reguladora do sector postal em Cabo Verde, está “profundamente comprometida” com a sustentabilidade dos operadores nacionais, assim como a “defesa firme” dos “direitos legítimos” dos consumidores.

“É neste âmbito que assinamos esse convénio de qualidade dos serviços postais, cujo objectivo é garantir uma excelente qualidade dos serviços postais que são prestados no nosso País”, sublinhou.

Segundo o responsável, foram definidos 20 indicadores de qualidade que vão desde do tempo que demora uma correspondência para chegar ao seu destino, até o tempo que os consumidores de serviços postais têm de esperar numa fila para serem atendidos.

Assinalou, por outro lado, a existência de um acordo para “implementar mecanismos rigorosos de monitorização” e de seguimento, para que se possa garantir que esse nível de qualidade possa de facto ser implementado.

“Vamos fazer esse trabalho num espírito de diálogo, de concertação e de criação de sinergias, para que os consumidores possam ter melhor qualidade de serviço”, sustentou.

Por sua vez, o presidente dos CCV, Isidoro Gomes, destacou que o documento assinado entre as duas entidades “é muito valioso”, perspectivando que venha a ser “útil aos consumidores”.

“Uma das tendências do sector postal é precisamente novas exigências dos cidadãos e o os CCV ao avançar com este passo, está de uma certa forma a cumprir com esta tendência”, atestou.

No entanto, afirmou, a materialização deste objectivo “exige várias intervenções” que estão associadas a “grandes reformas” na empresa, indicando um “programa robusto” que a entidade carece, nomeadamente o aumento de recursos humanos, reestruturação orgânica alinhada às boas práticas e investimento na modernização das infra-estruturas.

“A criação também de novos canais, novos sistemas e acima de tudo na criação de um processo mais eficiente e mais rápido de toda a cadeia do serviço postal”, disse.

Contudo, para cumprir com o compromisso, segundo Isidoro Gomes, é preciso estar alinhado ainda a factores externos, que “não dependem dos correios”, ligados ao sistema eficiente de transportes marítimo e aéreo.

“No concernente ao transporte terrestre, no final do ano passado a empresa investiu cerca de 30 mil contos na renovação da sua frota de automóvel, a nível nacional”, informou.

O convénio assinado entre a ARME e a CCV é válido por um período de três anos e define os indicadores de qualidade do serviço postal universal, bem como os respectivos valores mínimos aceitáveis, valores objectivos e a importância relativa de cada indicador de qualidade de serviço.

HR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos