Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

ARME acolhe primeiro encontro técnico entre Cabo Verde e São Tomé sobre sector da energia e sistema de regulação

Cidade da Praia, 09 Jul (Inforpress) – Os técnicos do sector de energia das entidades reguladoras cabo-verdianas e de São Tomé e Príncipe estão reunidos, de hoje a 11 de Julho, no primeiro encontro técnico sobre o sector energético e sistema de regulação dos dois países.

Em declarações à imprensa, o presidente do conselho de administração da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME), Isaías Barreto, disse que se trata de um primeiro evento desta natureza a ser realizado no âmbito da Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Portuguesa (RELOP).

“Cabo Verde e São Tomé são dois países pequenos insulares, são membros da RELOP e os dois países têm uma entidade reguladora multissectorial. Obviamente temos muitas similitudes e desafios similares e é por esta razão que estamos reunidos aqui neste primeiro encontro”, afirmou, mostrando-se optimista que o referido evento irá permitir às duas agências dar passos substanciais na promoção de uma regulação de excelência e de proximidade.

No sector da energia em Cabo Verde, explicou, há necessidade de promover uma maior eficiência energética, ajuntando que o país enfrenta grandes perdas técnicas e comerciais e que precisa melhorar este aspecto que, por sua vez, tem tido um impacto muito grande nos consumidores.

A ARME, de acordo com este responsável, quer de igual modo, promover a legítima defesa dos interesses dos consumidores, com vista a garantir que os mesmos paguem menos por um produto com maior qualidade, apontando ainda a necessidade de se apostar também nas energias renováveis.

“Temos as nossas especificidades, a produção de energia assenta-se essencialmente em fontes fosseis, temos perdas técnicas, a barreira dos 30 a 40% e isto tem impacto, e enquanto entidade reguladora o que queremos é produzir maior eficiência para que os operadores produzam a um custo mais baixo e para que os consumidores possam pagar a um preço mais reduzido”, asseverou Isaías Barreto quando questionado sobre o porquê de a energia em Cabo Verde ser caro.

Durante esses dias, conforme adiantou, muitos assuntos vão ser abordados nomeadamente assuntos ligados à fiscalização, qualidade de serviço, eficiência energética, que permitirá a partilha de experiências e reflexão conjunta sobre o sector energético e o sistema de regulação.

Por seu turno, o engenheiro de electricidade da Autoridade Geral de Regulação de São Tomé e Príncipe (AGER), Posik Espirito Santo, destacou a importância do evento e o nível de cooperação entre Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

Apontou, por outro lado, a necessidade dos dois países estabelecerem futuramente acordos de parcerias no sector da energia e sistema de regulação com vista a promover a consolidação das relações de cooperação entre os mesmos.

CM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos