Angola/Eleições: MPLA com maioria qualificada foi o mais votado nas 18 províncias do país – revela CNE

 

Luanda, 25 Ago (Inforpress) – O MPLA venceu em todas as 18 províncias de Angola nas eleições gerais de quarta-feira, mas elegeu a totalidade dos cinco deputados dos círculos provinciais em apenas cinco, contra as 10 de 2012.

De acordo com os dados avançados hoje pela porta-voz da CNE, Júlia Ferreira, estão escrutinados 9.114.386 votos (97,82% do total), tendo o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) garantido todos os cinco deputados do círculo provincial no Cuanza Norte, Cuanza Sul, Cunene, Huíla e Malanje.

A vitória mais expressiva foi no Cunene, sul de Angola, com o MPLA a garantir (além dos cinco deputados) uma votação de 89,12% do total, com 153.897 votos, deixando a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) com 5,41% e a Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE) com 3,78%.

Em Malanje, a 09 de Agosto, quando pela primeira vez pediu aos eleitores a maioria qualificada nestas eleições, João Lourenço, o cabeça-de-lista e candidato à Presidência da República, antevia o cenário: “Será com esta combinação de 5-0 em algumas províncias e quatro noutras que nós vamos chegar à maioria qualificada de dois terços. E vamos depois do dia 23 deste mês, depois de constituído o Governo, governar para todos os angolanos, sem termos de chamar, necessariamente, de Governo inclusivo. Porque qualquer Governo é já em si inclusivo, qualquer Governo governa para os cidadãos”, apontou.

Em Cabinda, a votação de 39,75% levou o MPLA a eleger dois deputados, o mesmo número da CASA-CE (29,33%) e com a UNITA a arrecadar o quinto eleito (28,18%).

No Bié, um dos bastiões da UNITA, o partido do ‘galo negro’ conseguiu dois deputados (38,27%), contra os três (57,42%) do MPLA, cenário idêntico ao Huambo.

Em Luanda, província capital, o MPLA arrecadou 1.016.655 votos (48,20%) até ao momento, e três mandatos, contra os 748.839 votos (35,50%) da UNITA, com dois eleitos.

Na Lunda Sul, pouco mais de 6.000 votos separam MPLA (45,96% e 57.640 votos) e UNITA (41,07% e 51.506 votos), respetivamente com três e dois deputados eleitos.

No Zaire, além dos três deputados do MPLA, também a UNITA (um) e a CASA-CE (um) elegeram deputados, sendo a única província que já completou o escrutínio de todas as mesas de voto.

No total, o MPLA garantiu nestas eleições, segundo a CNE, uma maioria qualificada, com 150 deputados (61,70%) à Assembleia Nacional, seguida da UNITA com 51 deputados (26,71%) e da CASA-CE com 16 deputados (9,46%).

Pela primeira vez, as duas principais formações da oposição em Angola, a UNITA e a CASA-CE, obtiveram juntas mais votos na província de Luanda do que o MPLA, ao contrário do que aconteceu nas eleições de 2008 e 2012.

Os resultados da província de Luanda, um dos mais populosos e onde se encontra a capital, são praticamente finais, uma vez que já foram contabilizados os votos de 2.786.593 eleitores, ou 99,46% do universo, indicam os dados divulgados hoje pela porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Júlia Ferreira.

Para estas eleições estavam registados para votar 9.317.294 de eleitores, segundo os dados oficiais da CNE.

A Constituição angolana aprovada em 2010 prevê a realização de eleições gerais a cada cinco anos, elegendo 130 deputados pelo círculo nacional e mais cinco deputados pelos círculos eleitorais de cada uma das 18 províncias do país (total de 90).

O cabeça-de-lista pelo círculo nacional do partido ou coligação de partidos mais votado é automaticamente eleito Presidente da República e chefe do executivo.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos