Angola/Eleições: Jorge Carlos Fonseca espera que o pleito decorra de forma “pacífica, tranquila, justa e democrática”

 

Cidade da Praia, 22 Ago (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca disse hoje, que espera que as eleições angolanas a realizar esta quarta-feira, 23, decorram de forma “pacífica, tranquila, justa e democrática” e que qualquer que seja o resultado, Cabo Verde vai respeitar.

O chefe de Estado fez estas declarações hoje na Cidade da Praia, à saída da Embaixada de Espanha, onde assinou o livro de condolências em homenagem às 15 vitimas do atentado de Barcelona.

Segundo Jorge Carlos Fonseca, o Estado de Cabo Verde está a acompanhar as eleições angolanas com “muito interesse”, por várias razões, nomeadamente por ser um “país amigo” e que partilha o espaço dos Países Africanos da Língua Oficial Portuguesa (PALOP), Comunidade dos Países da língua Portuguesa (CPLP) e ainda a União Africana.

E ainda por ser um país que tem uma história comum com Cabo Verde e que partilham “muitos valores” e pela presença de uma forte comunidade cabo-verdiana, informou o chefe de Estado.

O PR garantiu ainda que Cabo Verde vai trabalhar com “todo afinco e interesse” com as novas autoridades saídas destas eleições, estreitando as relações de cooperação e de amizade”.

Questionado como vê a saída de José Eduardo dos Santos e a renovação do poder em Angola, disse que “é normal que haja renovação, trata-se de um processo democrático”.

Angola vai realizar eleições gerais esta quarta-feira, 23 de Agosto, às quais concorrem o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), Partido de Renovação Social (PRS), Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) e Aliança Patriótica Nacional (APN).

A Comissão Nacional Eleitoral de Angola constituiu 12.512 assembleias de voto, que incluem 25.873 mesas de voto, algumas a serem instaladas em escolas e em tendas por todo o país, com o escrutínio centralizado nas capitais de província e em Luanda, estando 9.317.294 eleitores em condições de votar.

A Constituição angolana aprovada em 2010 prevê a realização de eleições gerais a cada cinco anos, elegendo 130 deputados pelo círculo nacional e mais cinco deputados pelos círculos eleitorais de cada uma das 18 províncias do país (total de 90).

FM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos