ANESP demarca-se de “qualquer tentativa de manifestação” dos vigilantes das empresas privadas

Cidade da Praia, 22 Jan (Inforpress) – A direcção da Associação Nacional das Empresas de Segurança Privada (ANESP) demarca-se de “qualquer tentativa de acto de manifestação” dos vigilantes das empresas privadas ponderada pelo SIACSA.

Em comunicado, a direcção da ANESP declara “que irá prestar toda a sua colaboração a equipa de consultores e ao Governo, permitindo que o estudo seja o mais real possível, possibilitando a tomada de medidas de fundo, a bem do sector da segurança privada no país e dos próprios vigilantes”.

Nesta nota deixa explícito que demarca-se de qualquer acto, “cujo efeito poderá afundar, ainda mais, o sector, que é encarado pela Associação como sendo muito importante para a área da segurança no país e imprescindível, do ponto de vista social, pelo elevado número de emprego que cria”.

Contrariando a denuncia do presidente do Sindicato de Indústria, Alimentação, Construção Civil e Afins (SIACSA), Gilberto Lima, que faz fé num encontro a ter lugar nesta quarta feira, entre o Ministério da Administração Interna e as empresas de segurança privada, a ANESP esclarece que “foi tão somente convidada para uma reunião de trabalho”.

Sublinha que se pretende com o encontro desta quarta-feira iniciar o processo de elaboração do estudo sobre a sustentabilidade financeira das empresas de segurança privada, alegando que irá permitir ao Governo avaliar o sector e tomar medidas assertivas para a consolidação deste sector de actividade no país.

Esta é a reacção da ANESP à conferencia de imprensa do presidente do SIACSA que ameaça para uma manifestação pacífica nacional de três dias, dos vigilantes das empresas de segurança privada se até quarta-feira, 23, não se conhecer nenhuma resolução em termos de aplicabilidade da grelha salarial, aprovada em 2018.

SR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos