AME 2017: Abraão Vicente faz balanço positivo em todos os aspectos e considera esta edição “muito forte”

 

Cidade da Praia, 14 Abr (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, fez um balanço positivo da V edição do Atlantic Music Expo 2017 (AME-CV) em todos os aspectos, considerando esta feira internacional de música “muito forte”.

O governante fez estas considerações, na noite desta quinta-feira, antes do cair do pano sobre a V edição do AME-CV, que decorreu de 10 a 14 de Abril na Cidade da Praia e teve como palco de encerramento a Praça Luís de Camões. Este ano teve a sua primeira extensão à ilha de São Vicente.

No dizer deste governante, esta edição mereceu também um balanço “positivo” por parte dos parceiros.

De acordo com o ministro da Cultura, nesta edição conseguiram alargar o âmbito do mercado, isto é, o AME não é apenas um mercado de “world music”, mas também de músicas tradicionais, novas tendências que vão desde a música cabo-verdiana, africana, europeia, sul-americana, ou seja, todos os estilos estiveram presentes.

Abraão Vicente destacou nesta V edição do AME, a consolidação do hip hop, principalmente o hip hop crioulo nos “showcase”, música electrónica, kuduro experimental e ainda um palco só para DJ com kizomba.

O aumento das mesas, número de produtores, encontros com produtores e músicos, reforço das formações para artistas e agentes nacionais e estrageiras nos workshops e conferências, são outros ganhos que este responsável apontou.

O ministro Abrão Vicente enalteceu ainda esta parceria do Estado com a parceria privada, afirmando que em três dias é possível “fazer negócios a sério” no que tange ao mercado musical e não só.

Em termos de gastos, declarou que este ano não gastaram “100 escudos” com publicidades nos media tradicionais, mas no entanto, apoderaram das redes socais e conseguiram chegar ao público mais jovem que fez com que esta edição tenha um “público renovado” e sempre com presença em alta da camada juvenil.

No último dia do evento, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, lançou a nova imagem da próxima edição, facto que no entender do ministro mostra que é um projecto para continuar, com mais solidez, previsibilidade e transparência nas prestações de contas.

Com menos de um ano de experiência, afiançou que conseguiram realizar este evento, mesmo com tentativas de boicote por parte de terceiros. Ainda concernente às despesas, assegurou que neste momento todas as despesas desta edição do AME, já estão pagas e/ou em processo de pagamento, salientando que vão ainda ter “pequeno remanescente”, do evento orçado em 30 mil contos.

Para o próximo ano, ou seja, na edição de 2018, Abraão Vicente adiantou que almejam aumentar o número de palcos e artistas que participam e reforçar a parceria com o Kriol Jazz Festival.

Ainda no próximo ano, almeja ver no palco do AME um grupo de alunos da Cesária Academia de Arte.

FM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos