Aldeias Infantis SOS Cabo Verde reforça parceria com o Hotel Hilton Cabo Verde Sal Resort

Cidade da Praia, 24 Mai (Inforpress)- As Aldeias Infantis SOS Cabo Verde e o Hotel Hilton Cabo Verde Sal Resort assinaram hoje um acordo de parceria, em que este estabelecimento hoteleiro disponibiliza à “Casa Portugal” da Aldeia de São Domingos o valor de 1.075.742,00.

Este acordo, conforme adiantou as Aldeias SOS, se enquadra no âmbito da responsabilidade social corporativa do Hotel Hilton e visa patrocinar o funcionamento da Aldeia Infantil SOS de São Domingos, no valor de 1.075.742,00 (Um Milhão Setenta e Cinco Mil e Setecentos e Quarenta e Dois Escudos).

Em declarações à Inforpress, o director Nacional das Aldeias SOS Cabo Verde, Dionísio Pereira, afirmou que se trata da continuidade de uma colaboração que já vem de algum tempo, ou seja, um apoio na linha da busca de financiamento da estrutura, no sentido de garantir o funcionamento em termos de despesas.

“Ao mesmo tempo que também o hotel se disponibiliza para acolhimento dos nossos aprendizes, na prática de trabalhos na área de hotelaria e turismo, da nossa parte esta casa leva o nome desta empresa, de modo que temos de fomentar e dar garantia de utilização correcta destes recursos”, sustentou.

Para Dionísio Pereira, esta parceria constitui uma “lufada de ar fresco” num momento em que a covid-19 complicou a situação, assim como o aumento de preços de produtos motivado pela guerra na Ucrânia, daí, considerou ser uma grande contribuição da parte Hotel Hilton Cabo Verde Sal Resort, tendo em conta algumas perdas que as aldeias SOS tiveram em financiamento.

De entre os desafios da intuição social, destacou a mobilização de recursos em tempos de crise, segundo o qual é complicado.

O responsável acrescentou que viu-se obrigado a redobrar os esforços na busca de meios como forma de manter a qualidade de trabalho realizado por esta instituição ao longo dos anos.

“Houve uma diminuição de parceiros em tempos de covid, neste momento estamos no processo de retoma, de reconquista, porque os hotéis e outras empresas parceiras e padrinhos estiveram sem rendimento, não poderiam continuar a disponibilizar os recursos para as Aldeias SOS, de modo que espero que neste momento de retoma voltem a nos estender as mãos”, afirmou.

Entretanto, manifestou confiante, tendo adiantado que a cada dia há pessoas que têm entrado em contato com esta instituição informando da mudança da situação, e da disponibilidade de retomarem a parceria.

ET/MV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos