Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Água e saneamento contribuem muito para a melhoria da qualidade de vida das pessoas – MAA

 

Cidade da Praia, 26 Jan (Inforpress) – O ministro da Agricultura e Ambiente defendeu hoje que a água e saneamento são essenciais para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e que ter relatórios anuais sobre a prestação desses serviços é uma mais-valia.

Gilberto Silva defendeu essa ideia na Cidade da Praia ao presidir o acto de encerramento da apresentação e entrega do Relatório de Avaliação dos Serviços de Água e Saneamento de 2015 (RASAS), elaborado pela Agência de Regulação Económica (ARE) e a Agência Nacional de Água e Saneamento (ANAS), no quadro do encerramento das actividades do Millennium Challenge Account – Cabo Verde II (MCA-CV II).

Segundo o ministro, há um conjunto de acções que enformam o processo de reforma do sector da água e saneamento, sendo que o relatório hoje apresentado representa o início de um processo, já que serão elaborados relatórios anuais que, com eles, vão trazer desafios que irão permitir a continuidade desse trabalho e a consolidação do referido processo.

“A água e o saneamento contribuem muito para a melhoria da qualidade de vida de cada um de nós”, frisou, apontando como desafios nesse processo de controlo da qualidade dos serviços de água e saneamento, a aprovação de diplomas legais que servem de suporte à elaboração dos relatórios (RASAS), mas também à aprovação de normas de qualidade de águas residuais.

Para Gilberto Silva, as normas de qualidade de águas residuais constituem uma “grande prioridade” para o Governo, porque a gestão da água no país, enquanto recurso importante para a economia, vai implicar a reutilização das águas residuais tratadas na agricultura e algumas outras actividades económicas, tornando-as mais resilientes.

O ministro garantiu que para os operadores que não cumprirem essas boas práticas haverá responsabilização quando o diploma legal for aprovado, mas acredita que os operadores vão colaborar na elaboração dos relatórios, não porque a lei obriga, mas para servir um bom serviço aos cidadãos.

Em relação às conclusões do relatório, que apontam, por exemplo, a carência de dados, a percepção de uma baixa flexibilidade dos dados e de um baixo desempenho por parte das entidades gestoras, o governante considerou que “não são más notícias”, mas informações que vão servir de “inputs” para a melhoria dos serviços.

Presentes na cerimónia estiveram operadores dos serviços de água e saneamento a nível nacional que receberam o RASAS, a presidente da ARE, karine Monteiro, o administrador da ANAS, António Pedro Pina, e o gestor do MCA-CVII, Hélder Santos.

DR/JMV

 

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos