Agentes da Polícia Nacional capacitados em análise e informações criminais

Cidade da Praia 08 Jul (Inforpress) – Um grupo de 20 efectivos da Polícia Nacional foram capacitados em análise e informações criminais visando dotá-los de uma nova visão e de ferramentas para uma melhor investigação criminal no País.

A formação, dirigida a elementos da Direcção Central de Investigação Criminal e da Direcção dos Estrangeiros e Fronteiras, teve início no dia 20 de Junho, no Centro Nacional de Formação, sediada na Praia, e foi ministrada por quadros da Polícia de Segurança Pública (PSP), de Portugal.

De acordo com o director do Centro Nacional de Formação, Augusto Teixeira, o curso em Análise e Informações Criminais teve a duração de três semanas, carga horária de 90 horas, e com duas componentes teóricas e práticas, mais momentos de avaliação.

No decorrer do curso, apontou este responsável, foram ministrados os módulos: estrutura de investigação criminal, teoria das informações, segurança das informações, avaliação de informação, fontes de informação, direcção e planeamento, teses e hipóteses, diagramas, análises específicas, entre outros.

Augusto Teixeira precisou ainda que os objectivos da formação foram alcançados, reconhecendo o trabalho dos formadores que com “muita mestria” conseguiram transmitir todo o conhecimento aos formandos permitindo com que estes saíssem com uma nova visão e ferramentas de trabalho que irá culminar na “melhoria da aplicação de investigação criminal e com maior rigor”.

Por isso, espera que este conhecimento seja aplicado na prática de forma que a Polícia Nacional (PN), no quadro do reforço e da capacitação dos seus efectivos, possa prestar um bom serviço à comunidade em matéria de investigação criminal.

Por seu lado, o director nacional adjunto para a área administrativa, Jorge Andrade, que presidiu ao encerramento da formação, agradeceu à PSP portuguesa pela cooperação que tem mantido com Cabo Verde.

Registou ainda que a formação contínua será sempre a prioridade da Polícia Nacional e reafirmou o total interesse da PN em continuar com esta cooperação e parceria que “tem gerado bons resultados”.

Jorge Andrade disse estar convicto de que os agentes foram dotados de ferramentas “incontornáveis” para o sucesso da sua missão, pelo que espera que os mesmos entendam que são agentes de mudança colocando ao serviço da instituição e do País as aptidões conseguidas durante a formação.

TC/HF

Inforpress/ Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos